Uma obra transformadora que deu origem a um incrível loft luminoso.

Fotografia via ProjectFairtyle

Situado em Amsterdão, este espaço foi fruto de um ‘extreme makeover’ e passou a desempenhar novas funções na vida desta família.

As características amplas e desafogadas que antes davam para acolher diversas viaturas automóveis, revelaram-se ideais para a criação de uma habitação que soube tirar partido desses mesmos atributos. O facto de ser grande, em open space, e com a particularidade de saber retirar o maior partido no que diz respeito à luminosidade foi um ponto de partida.

Inevitavelmente, uma área com esta dimensão, sem quaisquer paredes divisórias, obrigou ao reforço de vigas no teto. Elas vêem-se mas estão bem fundidas com as paredes da habitação, igualmente pintadas de branco. A tonalidade eleita é uma constante, das paredes ao pavimento, das janelas a grande parte do mobiliário.

É o teto, integralmente forrado a madeira que traz o maior conforto ao imóvel, a par com a salamandra que acolhe a lenha mesmo ali ao lado. O facto de ser um piso térreo sem vizinhos por cima permitiu que os proprietários rasgassem parte do telhado, agora substituído por uma generosa caixilharia que facilita a entrada de luz natural.

As parcas divisórias que aqui encontramos foram erguidas com as janelas anteriormente existentes, a sua madeira gasta e imperfeita potencia o charme desta casa tão singular.

A zona de estar funde-se com a sala de jantar, junto à cozinha. A bancada encostada à parede cumpre todas as necessidades.

O estilo da sala tem grande influência na decoração escandinava, não apenas pelos tons claros e neutros, mas também pelos materiais naturais. O sofá, a poltrona, os bancos de apoio e até os têxteis com fibras naturais são apenas alguns dos exemplos.

As circulações são desafogadas, nada está em excesso, quase lembrando o conceito wabi-sabi, não apenas pela simplicidade dos elementos, mas pela estética que valoriza a imperfeição das coisas.

O essencial está lá. E numa família, com uma criança pequena, poucas coisas são mais importantes do que… um baloiço! Concordam?

Apenas o quarto e a casa de banho têm uma estrutura autónoma. Não inteiramente fechada, mas bem delimitada por ripas de madeira e pelo reaproveitamento de janelas antigas. E quem resiste a estas banheiras clássicas?

Aqui, não faltam elementos e recantos para aguçar a criatividade. A tenda com estrutura em madeira é um desses exemplos.

Tudo está pontuado de verde, as plantas são uma constante e só vêm reforçar o evidente cariz ecológico desta original habitação.