Um prédio de traça antiga e de olhos postos no Tejo e Basílica da Estrela, com uma decoração, no mínimo, surpreendente.

Fotografia: Revista Urbana / Texto: Mafalda Galamas

Percorrer o caminho de Santiago de Compostela é, sobretudo, uma viagem interior. Uma oportunidade para parar, refletir e escutar. «Só o próprio caminho nos diz as razões da viagem», já dizia Carlos Ferreira, jornalista e autor do livro ‘’Alguma dor cura a alma”, num reflexo da sua própria experiência nesta jornada. Foi precisamente neste percurso de fé, que Eva e Larry Bloch descobriram Portugal. Mais, apaixonaram-se pelos portugueses e por Lisboa. Uma paixão de tal modo assolapada, que programaram (para breve) a mudança de Sydney para cá, permitindo aos filhos estudar na capital portuguesa.

O primeiro passo foi, naturalmente, comprar casa. Este prédio de traça antiga, situado em Campo de Ourique, preencheu os requisitos exigidos pelo casal, que contou com a ajuda de uma equipa especializada para a conclusão da remodelação. Marcello Fanico, da Alternative Choice Investments, e a designer de interiores, Marta Rocha dos Santos, foram os parceiros na concretização deste projeto.

«Assim que vimos o apartamento pela primeira vez, adorámos a varanda, com uma vista incrível para o rio Tejo e Basílica da Estrela, bem como a carpintaria da casa, os tetos trabalhados e o facto de ter luz o dia inteiro…», palavras da proprietária aos primeiros minutos de conversa. Este T3, distribuído por 191 m², com pavimento pinewood, é um apartamento de esquina, o que possibilita uma geometria fora do comum, repleta de ângulos diferentes e vistas inesperadas. O piso recuperado, as carpintarias pintadas, janelas novas e alguma arquitetura de interiores reconfigurada permitiram o renascimento desta habitação.

Aos primeiros passos, destaca-se o papel de parede Wall & Deco, com autoria de Lorenzo de Grandis. A imagem de tonalidades castanha e “pêssego” representa uma árvore de ramos e flores com influência oriental. A designer Marta Rocha dos Santos quis incorporar uma peça única que respeitasse o papel de parede. Foi aí que surgiu esta prateleira de madeira reciclada, bastante antiga, que é parte de uma árvore com 50 anos, pertencente a um antigo carpinteiro… hoje, transformada em consola.

O espaço comum da casa é, por excelência, esta sala de estar, com janelas amplas e panorâmica semicircular. A reconfiguração da parte de trás desta divisão, de parede azul-marinho e piso elevado – acessível somente através de três degraus recentemente construídos –, foi, outrora, uma entrada para a sala. Atualmente é um recanto relaxante pensado para ler um livro, ou simplesmente apreciar a paisagem. Também nas janelas foi construído um assento, com tampo de mármore carrara que oculta, na verdade, armários de bebidas.

Tudo nesta sala se orienta em função das janelas e das vistas, são elas o elemento mais marcante. O espaço é amplo o suficiente para acomodar o sofá grande, da Botaca, duas cadeiras e otomanos feitos pelo atelier MRS. O tapete é de seda, aliando o luxo e conforto ao design. E os candeeiros pretos nas mesinhas de apoio são da Vibia. A luz refletida no chão e no teto foi um importante elemento a respeitar. Relativamente à iluminação artificial, a solução suspensa no teto é da Le Deun e os candeeiros de pé, Flos.

Nas paredes vemos a obra de Michael Moebius, com o quadro “Marilyn with Bubble Gum”, comprado em Londres, Nicole Hoeft, com “Her Coat”, adquirido na Saatchi Art, e quatro aguarelas de Ligia Fernandez. As prateleiras são Teebooks e os originais bancos de madeira são da Area Store.  

Cada peça foi cuidadosamente escolhida para fazer parte de um cenário especial com ligação à sala de jantar. O tom mostarda das almofadas é a “ponte” discreta para a combinação com a zona de refeições. Aqui, o papel de parede Cole & Son representa as árvores. As linhas verticais adicionam profundidade à sala e permitem a entrada da natureza no apartamento. É evidente a sóbria combinação entre os pontos de mostarda do papel de parede com as cadeiras de jantar, sem excesso de textura. A mesa de tulipa oval, com tampo em mármore carrara polido, foi adquirida na Onska Interiors, em Londres.

Na zona mais privada da casa, os quartos, houve o cuidado de os adaptar a cada elemento da família.

Na suite, os elegantes armários brancos foram criados para cobrir um invulgar espaço de chaminé de cozinha. Pretendia-se um ambiente sereno e pacífico, pelo que foi criado um esquema de cores suave, em cinza e rosa pálido. Nas paredes, a escolha recaiu para um papel Élitis, de cor cinza e textura inspirada no linho. A cama, iluminada por baixo, tem o design personalizado do atelierMRS, assim como as mesinhas de cabeceira, em bandeja de cobre.

A divisão tinha uma antiga lareira embutida que foi substituída por armários. O quarto é suficientemente grande para englobar uma zona de estar, com mesa e dois cadeirões, e ao qual foi adicionada uma terceira casa de banho, totalmente redesenhada. Para esta nova instalação sanitária, cheia de luz natural graças à enorme janela, a escolha recaiu nos revestimentos brancos, com acessórios pretos, para um resultado mais eclético.

Os quartos votados à geração mais nova são, também, os mais criativos e surpreendentes. O de tons azul e amarelo, reservado ao filho de 15 anos, é o mais pequeno, e não tem guarda-roupa integrado.

O mobiliário projetado por Marta Santos Rocha conseguiu colmatar a falta de arrumação, com a construção de uma plataforma da mesma dimensão da cama com capacidade de arrumação, maximizando, em simultâneo, o espaço e o conforto. Conseguiu-se, ainda, espaço para uma pequena prateleira de estudo. O esquema de cores, azul e o laranja e amarelo-limão, foi também uma escolha jovial. Neste quarto, o elemento diferenciador é, sem dúvida, o papel de parede personalizado pelo atelier MSR.

No quarto vermelho, destinado ao outro filho do casal, com 18 anos, destaca-se o papel de parede by London Art, cujo número (8) oito representa o fluxo, ou movimento contínuo da energia espiritual, isto é, o equilíbrio e a harmonia.

O adolescente que aqui vai habitar fez um pedido especial: a luz LED vermelha no contorno do teto branco… que cria um efeito fabuloso e inesperado! O quarto está emoldurado por uma janela dupla com um banco personalizado e artesanal, onde o jovem adulto se pode sentar e relaxar. As mesinhas de cabeceira Hay combinam com os apliques de parede, igualmente pretos.

Somos surpreendidos a cada divisão, e a cozinha não é exceção. O mapa de parede realça Portugal, numa ajuda preciosa ao planeamento dos dias, marcando e adicionando os locais a visitar, enquanto tomam o pequeno-almoço, na mesa e cadeiras italianas, Bonaldo. Uma inspiração incrível para o resto do dia!