No sopé da cordilheira Waitakere reside a Forest House que reflete o deslumbrante ambiente natural em que a casa fica.

Fotografia: Simon Wilson & Amelia Holmes

O estúdio de arquitetura da Nova Zelândia Fearon Hay assinou o projeto desta incrível habitação repleta de detalhes únicos. Do pavimento de madeira escura, às áreas espaçosas, enormes pilares de cimento, e claro, às diferentes zonas para trabalhar, viver, comer, divertir e dormir.

A construção de grande dimensão – mais de 600m2 – tem a madeira como “estrela” do projeto, que foi aqui meticulosamente trabalhada.  A matéria prima foi sendo coletada pelo cliente desde vigas de madeira, a paletes e outro tipo de madeiras. Hoje, recicladas, deram forma ao design num conjunto de tons e texturas esteticamente belos.

O interior é espaçoso, e os enormes pilares de cimento ajudam a delimitar os espaços internos, criando as diferentes zonas para trabalhar, viver, comer, ou descansar.

Os elementos pesados e rústicos são equilibrados com a amplitude e luminosidade do espaço. As venezianas de madeira que circundam a casa são a chave para o impacto visual do edifício, de linhas verticais fortes contribuindo para uma primeira impressão poderosa do exterior. Quando fechadas, as mesmas venezianas criam ambientes acolhedores e íntimos, mas quando abertas, permitem a entrada de luz que se move de norte a oeste, enquanto, ao mesmo tempo, proporcionam privacidade.

A Forest House é uma casa simultaneamente funcional, mas arquitetonicamente inesperada, espaçosa mas acolhedora, sólida e cheia de luz, grande e em simultâneo ecologicamente correta, atemporal, mas inconfundivelmente moderna!