Naturais, crus e campestres. Permanecem uma tendência e nós adoramos. Dos pormenores arquitetónicos, à decoração!

Fotografia de destaque: Couche photo

Normalmente associada às casas de campo, e de praia – embora a vejamos não poucas vezes em plena cidade -, a decoração de estilo rústico é uma lufada de ar fresco no meio da imensa modernidade e agitação do dia a dia.

Ser rústico significa ser feito de materiais naturais, com formas e acabamentos menos perfeitos, nascidos de uma forma artesanal. E as suas características podem revelar-se logo na estrutura da casa, nas vigas de madeira e nas paredes caiadas ou irregulares simplesmente porque sim, porque é feito à mão, e sem obedecer à rigidez de uma parede estucada na perfeição, por exemplo.

Os seus materiais nobres são a pedra, a cal, o barro e as fibras naturais. Nada de lacados, sempre tudo no seu estado natural ou, no máximo, com uma pequena pintura.

O estilo rústico está também associado ao conforto. Muito por “culpa” dos têxteis utilizados – todos naturais – como o linho ou o algodão. Habitualmente, variam numa paleta de brancos, pastel e tons terra.

As cores intensas são trazidas pela flores, muitas flores sempre!

Também no mobiliário existem algumas particularidades. É comum a presença de peças antigas, herdadas de família, com alma e com história. Cómodas, baús, cabides, louceiros…

E na cozinha? A cozinha tem (quase) um papel protagonista nesta película. Regra geral, são locais com uma energia muito própria onde as jarras, a loiça antiga, o cobre, os elementos alusivos a animais, os cestos de vime e outros tantos objetos artesanais marcam presença constante.