Estimula a criatividade e a alegria. E é, frequentemente, relegado aos detalhes decorativos. Mas, e quando o amarelo é utilizado de forma integral numa habitação, qual o resultado?

Fotografia: José Hevia

Já todos estamos, de algum modo, familiarizados com a cromoterapia. A utilização das cores como meio terapêutico para o tratamento de determinadas condições físicas e emocionais. No caso, a cor amarela, habitualmente conotada com a prosperidade e felicidade, é uma tonalidade que desperta a criatividade, que estimula o intelecto e um determinado raciocínio e atividades mentais, provocando até uma certa descontração e otimismo.

Por regra, esta ‘intensidade positiva’ é aproveitada na decoração de interiores para promover pontos de destaque em acessórios e objetos específicos. Raramente a associamos a uma decoração integral pelo risco de ser tornar cansativa e demasiado estimulante.

Contudo, o gabinete de arquitetura, espanhol – Arquitectura-G, desafiou-se a si mesmo e concebeu um duplex irreverente de 150m2, com terraço, cujo resultado é ume espécie de ode à cor amarela.

Situado em Sant Gervasi, Barcelona, o projeto de reforma integral resulta numa habitação contemporânea, de linhas modernas, com materiais funcionais e inesperados em algumas das soluções.

O uso de pastilha amarela para o revestimento de paredes da sala, e cozinha com pavimento a acompanhar, são alguns desses exemplos.

Todas as estruturas de ferro, com as escadas ou grelhas na cozinha e pavimento do hall superior são outro dos exemplos.

A ondulação de algumas paredes é outra das soluções presentes no interior que fazem desta uma habitação do século XXI pensada para elevar a um próximo nível a criatividade dos que aqui vivem.

Um projeto irreverente que vem provar a potencialidade da cor (amarela) na arquitetura de interiores e, não apenas, em acessórios decorativos.