Mais do que nunca, pelas contingências atuais, os jardins e, consequentemente, as piscinas veem a sua popularidade em alta. Vamos, por isso, olhar para elas e para tudo o que a envolve com todo o detalhe.

Imagem de destaque: Joana França

A piscina sempre foi a ‘cereja no topo do bolo’ de qualquer jardim, público ou privado. Mas para brilharem é fundamental manter os seus ‘arredores’ cuidados, desenvolver a sua envolvente é tão importante como o modelo de piscina que escolher. O que significa olhar para o pavimento ou plantas, bem como, mobiliário de exterior e iluminação.

LAYOUT

A primeira abordagem quando estiver a delinear o seu jardim com piscina, deve ser definir o layout. Uma boa distribuição de todos os elementos  no espaço exterior, e em concreto em torno da piscina, é fundamental. Tal como no interior das próprias habitações, também o exterior deve ser pensado de forma a criar zonas distintas. Desde a zona dedicada a banhos, à criação de locais mais sombreados e até com cobertura, eventualmente, para refeições ao ar livre.

MATERIAIS CERTOS

Todos os acabamentos devem ser enquadrados com o estilo que idealizou para o seu jardim. O material que mais parece reunir consenso quando conjugado com uma piscina é, sem dúvida, a madeira. As madeiras naturais e exóticas têm uma grande longevidade, mas por questões ambientais as escolhas estão cada vez a recair para madeiras processadas. Se o objetivo for apenas um efeito de madeira sem restrições, existem sempre as soluções em compósito, um material em plena expansão e consideravelmente mais barato. Além da prolongada durabilidade, não escorrega, nem exigir uma manutenção complexa.

O mineral também é uma boa opção, sejam as pedras naturais ou os próprios mosaicos. A pedra natural é, particularmente bem pensada para a beira da piscina por ser um material antiderrapante. Já os mosaicos, deverão ser aplicados com antiderrapante.

Nos últimos anos, as juntas a que a aplicação dos mosaicos obriga, têm afastado os proprietários para outras soluções mais contemporâneas. Tal como os chamados decks, de grandes formatos, que permitem a sua aplicação tanto fora como nos degraus de acesso à piscina. Além disso, já não se limitam aos tons de castanho ou cinza.

E, ainda, os tapetes de relva, naturalmente… Incontornáveis quando se fala em exterior, a relva mantém a sua frescura mesmo não sendo natural. São fáceis de instalar, de manter, e combinam com qualquer estilo.

CORES

Uma vez escolhido o material, pense também nas cores. É importante ter apenas em consideração de que os tons muito claros refletem mais o sol e uma tonalidade muito escura, cinza antracite ou preto, concentrará mais o calor.

MOBILIÁRIO

Deve ser enquadrado de acordo com as zonas distintas que criou. É conveniente pensar em zonas equipadas com espreguiçadeiras, ou se tiver espaço, grandes camas de jardim com confortáveis colchões para dormir, (preferencialmente à sombra). Aproveite para potenciar aqui as cores e texturas.

Um sofá, mesa e cadeiras também é determinante para quem procura uma zona de refeições ao ar livre. Tudo o resto, como acessórios decorativos e iluminação não deve ser descurado pois são eles que ajudam a criar ambiente.

VEGETAÇÃO, MUITA!

Aqui, sugerimos que se aconselhe com um paisagista profissional, pois as plantas obedecem a determinadas regras quando plantadas no exterior. As plantas exóticas, como palmeiras ou oliveiras são sempre uma boa opção, mas o mais importante é adequar as suas escolhas ao solo e ao clima. Contudo, existem outros cuidados a ter, como por exemplo, seleccionar plantas que não atraiam as abelhas, que não potenciem alergias e nas quais as crianças não corram o risco de se picar, por exemplo. Vasos decorativos, canteiros e floreiras também não devem ser esquecidos.