Projetada pelo Studio Locomotive, esta é uma casa de dois andares, despretensiosa, com estrutura de aço e cimento. A Prim House, assim designada em homenagem ao proprietário, é sinónimo das boas soluções de design, económica, segura e prática.

Fotografia: Weerapon Singnoi / Segundo a memória descritiva dos arquitetos

Ao contrário de outros prédios de aparência semelhante, com pouca ventilação e fraca qualidade da luz natural, o espaço aberto, no primeiro andar, dota esta casa tropical de circulação de ar a partir de aberturas frontais, de largura total, dispostas aleatoriamente na parede traseira. O projeto é assinado pelos arquitetos do Studio Locomotive, sediado em Phuket (Tailândia).

A clarabóia central favorece a ventilação vertical e permite que a luz do dia chegue à maioria das áreas da casa – incluindo o canteiro, adequado para vegetação interna -, sem ser bloqueado graças à escada de aço perfurada e ao passadiço suspenso.

A ventilação estende-se sobre o teto da casa de banho, partilhado com o piso de baixo, fácil de secar e arejar.

Os quartos receberam paredes. Existem dois quartos e uma casa de banho, no segundo andar, unidos ao espaço comum com vista para a folhagem ornamental em contraste com a coluna de aço estrutural exposta.

A estética não-funcional alinha com as necessidades e paixões do proprietário, nomeadamente a arte, o artesanato e as plantas, que florescem na sua galeria.