No Rio de Janeiro, saem de cena as tradicionais salas de escritório com as suas imponentes e formais salas de reunião dando lugar a ambientes informais e descontraídos com espaço até para a prática de yoga!

Fotografia: Denilson Machado, do MCA Estúdio

Urbano e cosmopolita. Assim é o escritório que hoje vos mostramos com projeto de interiores assinado pelos arquitetos Lívia Ornellas e Philippe Nunes  assinado pelo escritório NOP Arquitetura.

A eWinnin, empresa de Tech Empowered Creativity situada na Praia da Tijuca no Rio de Janeiro, reflete nos seus 570m² todo o potencial criativo da empresa.

Partindo do princípio de que o espaço de trabalho deve ser uma extensão da sala de estar, preparada para receber de forma acolhedora os seus funcionários, a equipa de criativos penou desde os detalhes estéticos à disposição dos espaços.

A NOP Arquitetura propôs salas de reunião sem mesas formais, porém com todo o aparato tecnológico, estabelecendo uma nova abordagem na condução dos negócios, assente na afetividade, jovialidade, criatividade e responsabilidade.

O imóvel que consistia numa laje aberta com dois pavimentos, foi compartimentado em salas de estar, lounges, bar, salas de reunião, auditório, refeitórios, banheiros, entre outros. No primeiro andar está toda a área social: ambientes de estar, unidos por um grande lounge de descompressão e o bar. Existe ainda os balneários, o refeitório, uma sala multifuncional e a recepção. Já no segundo piso está o auditório, o open space dos funcionários, um espaço de chat central, a sala da liderança, copa de apoio e casas de banho.

O grande objetivo era a criação de um projeto de arquitetura no qual a equipa se sentisse parte integrante. “O projeto foi pensado para os funcionários e seus hobbies, para que eles curtissem trabalhar ali. Existe espaço para a prática de yoga no auditório, o bar e a mesa de snooker. No fundo, cada um tem sua sala de estar preferida para reuniões. Todas elas são forradas com fórmica, possibilitando que escrevam nas paredes. O espaço lounge pode ser transformado durante as festas quinzenais, com iluminação e aparelhagem de som apropriados. Os balneários foram pensados para quem quiser treinar ou fazer surf nos intervalos do trabalho”, explicam os arquitetos.

A arquiteta Lívia Ornellas, explica o conceito: “A proposta da NOP Arquitetura para os projetos corporativos é desenvolver um olhar menos tecnicista e mais humano sobre todo o processo criativo, desde o briefing de necessidades até as características mais distintas e peculiares que fazem de uma empresa única e diferenciada. Assim, o ambiente como um todo passa a ser parte integrante daquela equipa, ajudando-a a atingir seu melhor”.

Por sua vez, o andar inferior foi inspirado em bares no estilo speakeasy, e o objetivo é que o funcionário possa descer e ter um momento de descontração. Os tons acompanham a ideia: cinza escuros e amadeirado no primeiro andar, reforçado pelos cortinados, tijolo aparente e serralharia com vidro, conferindo um clima mais industrial. Em contraponto, o segundo andar tem um visual mais formal, amplo, claro e arejado.

Hoje a empresa tem mais de 100 funcionários mas começou num apartamento pertencia à avó de um dos sócios. A foto desse espaço hoje está no centro do painel da recepção, com o recado: “para não esquecer de onde viemos”.

Na recepção, o painel com as fotos da história da empresa e todos os seus funcionários teve um enorme impacto na equipa, criando uma forte e imediata identidade.