A arquiteta e designer de interiores Catarina Batista assina o projeto de interiores desta moradia na margem sul do Tejo. O resultado é uma casa delicada e repleta de bom gosto!

Fotografia: Catarina Batista Studio

A Casa das Salinas surge da união de duas casas contíguas, que antes da encantadora fase da decoração passou por um processo de reabilitação. Pela rua, a habitação inserida no centro histórico consegue disfarçar a dimensão da remodelação efetuada.

Cataria Batista, explica que a premissa principal “foi criar espaços bonitos e leves mas acima de tudo funcionais que respeitassem a vivência de um casal jovem com filhos pequenos onde pudessem frequentemente receber amigos e familiares.”

No piso térreo concentram-se os espaços mais vividos da habitação, sala e cozinha, que funcionam muito bem no seu conjunto. São ambientes demarcados por tons neutros e pontuado ‘calor’ do carvalho natural. Efetivamente, a decoração de toda moradia é feita de cores neutras e descontraídas complementadas depois com peças de design de estilos distintos como forma de ir ao encontro dos gostos dos proprietários.

Na cozinha, a ilha executada em pedra funciona como o elemento central do espaço e de distribuição de toda a circulação. Já a sala, pela sua geometria muito retangular, consegue estar em harmonia com o exterior abraçando as zonas de estar, leitura e acesso ao hall principal.

No piso superior encontra-se a zona mais provada da casa, com os quartos das crianças e a Master suite.

A arquiteta e designer fundadora do Catarina Batista Estúdio esclarece que no quarto das crianças “optou-se por uma decoração leve e prática que pudesse dar seguimento a uma fase mais adulta sem grandes alterações ao projeto e deu-se especial destaque à casa de banho. É uma instalação de dimensões generosas que tem a banheira como o elemento focal assim como o forte contraste entre os cinzas e os elementos quentes de madeira.”

Já na Master suite, e a pedido dos proprietários, o coral assume o tom principal e o quarto vive por si só através desta tonalidade. O facto de ser um elemento tão forte fez com que o resto do espaço tivesse um impacto visual muito sóbrio, inclusivamente na casa de banho. “Este espaço tem praticamente a ausência de cor uma vez que quase todos os acabamentos e revestimentos são em preto e branco funcionando o todo a favor do tom quente e forte do quarto”, conclui a especialista.