Em Léry, no Canadá, pelo coletivo Chevalier Morales, esta casa de campo nas margens do lago St. Louis representa a integração perfeita da arquitetura na paisagem.

As reflexões incluíam como integrar arquitetonicamente um local natural de exceção e como definir a espacialidade da casa, o seu volume e a sua estrutura em resposta ao próprio local.

Para preservar a beleza intocada do local e as suas muitas árvores, maduras, foi adotada uma pegada compacta pelos arquitetos Chevalier Morales, mantendo a piscina integrada na casa através de um muro baixo horizontal, de pedra natural , que também garante intimidade. Apenas sete por cento do lugar é construído. Orientada para vistas impressionantes e o por do sol, a residência fica perto da água, criando a impressão de que os espaços interiores se desdobram para o lago.

Tanto a excepcional qualidade da paisagem quanto a orientação solar do local orientaram o planeamento geral dos espaços em ambos os andares. À medida que o projeto progredia e era refinado, muitos elementos arquitetónicos passaram a definir a identidade espacial da casa.

Primeiro, a lareira aberta fica no eixo da entrada principal, no coração do volume, enquanto os blocos de serviço destacados das paredes exteriores flanqueiam os seus lados, criando subtis volumes esculturais.
Em seguida, cada andar é caracterizado por uma notável abertura espacial, mas ambos estão ligados apenas por uma escada muito estreita e minimalista.

Dada a proximidade da água e a natureza ilusória do horizonte, além, imaginamos o piso térreo não apenas sem espaços de altura dupla, mas também com um teto relativamente baixo, reforçando a visão em direção ao horizonte. Por seu turno, no segundo andar, os quartos desfrutam de tetos angulares interessantes que geram um jogo extravagante de luz e sombra.

O volume da casa segue dois princípios: oferecer intimidade aos proprietários e reagir aos fortes ventos que surgem de oeste. A base de pedra relativamente opaca oferece a intimidade necessária, estendendo-se ao longo da piscina e, ao mesmo tempo, estabele um horizonte artificial sobre o qual repousa o volume superior. Este último é deslocado para oferecer um terraço coberto protegido do sol ao lado da piscina. O telhado foi deslocado e inclinado em resposta ao ambiente natural circundante.

A integração elaborada de texturas naturais vem de uma observação aguda do ambiente e do caráter geral da cidade de Léry. O calcário natural, o cimento com relevo e o revestimento de madeira trabalham juntos para integrar a casa nos tons naturais do local, caracterizado pela casca das árvores, pelo revestimento de madeira das casas vizinhas, paredes de pedra e até por vários outros espaços e superfícies construídas em blocos de cimento.

No interior, o piso de cimento polido e a lareira de cimento dominam a paleta de materiais, enquanto os móveis suavizam e aumentam o efeito tom sobre tom. A paleta neutra permite que o local da paisagem circundante e sua experiência sazonal variável penetrem no interior.