O Museo Franz Mayer, Cidade do México, tem patente a exposição inVisible, composta por mais de 500 peças que refletem as muitas possibilidades técnicas, formais e estilísticas do trabalho em vidro, um dos materiais mais fascinantes de todos os tempos. Para ver até ao dia 12 e Janeiro de 2020.

Imagens cedidas / Isabel P. Figueiredo
InVisible. Design in Glass exibe peças dos mais conceituados artistas, como Jan Hendrix, Perla Valtierra, Edgar Orlaineta, Julie Richoz, Mauricio Lara, Brian Thoreen e Frida Escobedo, entre outros designers de destaque.
Com esta exposição, o Museu Franz Mayer continua a exploração da lacuna entre a sua coleção e os novos discursos de arte e design, e s a consolidação do México como referência no design contemporâneo de vidro.
A exposição iniciou dia 10 de outubro de 2019 e estará patente até ao dia 12 de janeiro de 2020.
Invisível Design in Glass, uma exposição com curadoria do designer industrial Emiliano Godoy, explora a produção das casas Nouvel, Pavisa e Vissio e propõe uma visão oportuna das possibilidades materiais, técnicas e formais do vidro, um dos materiais mais fascinantes de que dispomos.
Com mais de 500 peças, dos objetos do quotidiano a peças artísticas, esta escolha aborda alguns dos temas que estruturaram a paixão dos colecionadores de Franz Mayer: perfeição e refinamento técnico, explorações formais e estilísticas, bem como a conformação de linguagens e padrões de design que, por um lado, dão conta das referências culturais de seu tempo e, por outro, abrem novas lacunas na criação.
Estruturada em quatro núcleos temáticos: Variedade e Excelência; Inovação e Tecnologia; Forma e Beleza e “tudo por uma pepita.”
A exposição abrange, em primeiro lugar, a ampla gama de possibilidades e soluções que foram produzidas ao longo das quase sete décadas de vida do Grupo Pavisa e dos 25 anos de Nouvel.
Padrões, formas e silhuetas reconhecíveis na nossa vida quotidiana, desde vasos, frascos de perfume, pires e garrafas de tequila a copos, cavalos ou cinzeiros, mas dispostos de maneira a que o que emerge dessa diversidade seja a vontade formal e a racionalidade de um desenho que parte do conhecimento das possibilidades de uma matéria complexa e ao mesmo tempo surpreendente.
No segundo núcleo, foi projetada uma experiência que permitirá ao público interagir com as ferramentas, aprender sobre os vários processos de produção e sobre os elementos envolvidos na elaboração de objetos de vidro: amostras, esboços, moldes e esquemas de produção.
O terceiro núcleo apresenta os limites formais e expressivos do vidro com peças inéditas dos conceituados Jan Hendrix, Perla Valtierra, Edgar Orlaineta, Jorge Yazpik, Mauricio Lara e Frida Escobedo, além da mais recente colaboração de Héctor Esrawe, Emiliano Godoy e Brian Thoreen para a Vissio.
O último núcleo é desenvolvido como um diálogo entre a produção contemporânea de vidro sob a técnica de pepitas, com a coleção de Franz Mayer. Deste acervo de 259 peças históricas de vidro, foram selecionados aqueles em que é possível reconhecer a técnica de pepitas e a sua evolução nas tradições europeias, hispânicas e finalmente mexicanas, com um dos produtores que mantém viva essa tradição: Casa Dragones, que fará uma peça comemorativa no âmbito desta exposição.
Com esta exposição, para ver até dia 12 de janeiro de 2020, o Museu Franz Mayer continua a exploração da lacuna entre arte e design e testemunha a consolidação do México como referência em design em vidro contemporâneo.
Invisível O design em vidro foi inaugurado no âmbito do ‘Mexican Open of Design’, um festival internacional que todos os anos reúne e celebra a comunidade de design no México, em toda a sua amplitude e diversidade.
Como já é tradição, e sempre em outubro, o Mexican Design Open abre espaço à criatividade e às linguagens de design contemporâneo no Centro Histórico da Cidade do México, sendo o Museu Franz Mayer um dos pólos indispensáveis ​​na programação do festival.
Com o objetivo de aproximar e aprofundar os contextos de técnicas e design em vidro, o Museu Franz Mayer apresenta um programa com diversas atividades, oficinas familiares, palestras com especialistas, visitas guiadas.
A conversa com a primeira professora de tequila, Bertha González Nieves, o designer industrial e curador desta exposição, Emiliano Godoy, o artista Edgar Orlaineta e o arquiteto e fundador da feira de Design Coletivo, Steven Learner, com moderação do editor Birgit Lohmann, da plataforma Designboom, aconteceu no dia 10 de outubro.