Um conceito representado através de uma arquitetura afetiva, que valoriza as pedras preciosas. O projeto foi desenvolvido pelo arquiteto João Daniel para a 26º edição da CASACOR.

Fotografia: Ruy Teixeira

O desafio lançado para um espaço integrado de 120m² foi o pretexto ideal para o arquiteto João Daniel apresentar as riquezas naturais regionais, aliadas à inovação, tecnologia e ao convívio de um casal que procura a máxima conexão com a natureza.

Uma das suas maiores preocupações foi criar um espaço que pudesse estar inserido no campo, montanha, praia, ou até mesmo num rooftop. A funcionalidade foi primordial para o desenvolvimento do projeto. A sua fonte de inspiração consistiu no uso de materiais nobres e cores sóbrias, que remetem para a solidez da terra.

A suíte contempla uma cama generosa e convidativa junto ao home office. O ambiente é rodeado pela lareira e estante de memórias. Ao lado, um espaço de relaxamento e de leitura.  Tudo é automatizado, com diversas soluções de áudio e vídeo.

A iluminação e ventilação natural, aparece protegida da insolação direta pelas árvores e vegetações existentes. Já a iluminação artificial foi, criteriosamente pontuada, de forma a destacar as obras de arte e circulações.

Recorrente a todo o projeto, desde a fachada, existe a presença dos seixos com pedra originalmente balinesa, além das pedras preciosas ornamentais.

Ao lado, observamos a área do closet e da cada de banho. O armário é amplo, elegante e sofisticado. A bancada de lavatórios e banheira, são ladeadas pelo toucador.

Destacamos ainda a varanda que se integra com o ambiente, com uma pérgula em aço corten, que oferece multifuncionalidade, além de personalidade.

O projeto é composto por painéis de marcenaria, cerâmicos, madeira, pavimento em cimento e pedras ornamentais. De uma forma geral, os materiais remetem ao minério, ouro e pedras naturais. Totalmente rico em texturas, o que confere dinamismo e conforto.