Estas são as dicas ilustradas com projetos de alguns escritórios de arquitetura.

Colocar o computador em cima da mesa de jantar parece um cenário desconfortável. Selecionámos alguns projetos e dicas de como elaborar o seu espaço.

BEATRIZ QUINELATO
Crédito fotos:  Adriana Barbosa e Adriano Escanhuela

A arquiteta Beatriz Quinelato preparou dicas para a área de estudo dos mais novos. Como a grande maioria está a trabalhar a partir de casa, é preciso pensar no conforto dos pequenos também. “O espaço tem de ser funcional, prático e confortável já que as crianças vão passar muito tempo a executar as suas tarefas”, comenta Beatriz. O quarto é uma ótima opção para área de estudo, é um espaço com o qual já estão familiarizadas e terão mais concentração para fazer as suas tarefas. Para as crianças mais pequenas, um espaço com nichos, cantinho da leitura e um tapete acolchoado é uma ótima opção pois elas podem desenhar, brincar e fazer a lição de casa. No caso das crianças maiores, a escrivaninha é indispensável, assim como uma cadeira bem confortável.

FADUL COPELLO
Crédito fotos: Denilson Machado

Já para Anna Beatriz Fadul e Gregory Copello da dupla Fadul Copello, a escolha do local deve considerar o quotidiano de quem mora na casa. No caso de quem tem mais espaço, a dica é dar prioridade aos quartos o mais isolados que não afetem o dia a dia da residência. Nos casos de quem tem menos espaço, a solução é apostar na organização e nas ideias criativas. No caso desse projeto, o cliente tinha um loft e queria ter espaço para receber, trabalhar e também descansar. A partir daí os arquitetos desenharam um projeto com painéis que se movimentam de acordo com a ocasião. Caso ele queira isolar o quarto da sala, é só movimentar os painéis. A área de trabalho foi colocada na sala para aproveitar o espaço e separar a área de trabalho da área de dormir.

GAM ARQUITETOS

A Gam Arquitetos sugere: na impossibilidade de ter um espaço isolado só para o escritório, adapte o quarto da empregada, um pedaço da sala de estar ou do quarto de hóspedes. Independentemente da escolha, o truque aqui é apostar em organização.

Para o projeto do Morro do Ipiranga (fotografias de Rodrigo Melo), Guido Ramos, Anna Fernandes e Marcelo Bezerril, da Gam, foram solicitados pelo dono do imóvel para transformar o apartamento de 350m2 num grande espaço com ambientes integrados para receber amigos e família em casa. Os arquitetos projetaram todos os móveis para o mar, com uma ampla sala de TV com sofá em L de 5x5m que contempla a vista para o mar de Ondina e funciona como home theater. O proprietário mora sozinho mas recebe com frequência a família e os amigos em casa. Como o trabalho dele exige muitas viagens, era indispensável um escritório com conforto para trabalhar de casa e muito espaço para juntar os amigos e familiares aos fins de semana.

No caso do projeto Kriolo (fotografias de Mariana Orsi), o atelier Gam tinha como desafio a ciação de um espaço amplo, cosmopolita e sem o visual de ambiente corporativo, com alma de casa para receber clientes, amigos e parceiros. Um espaço que sirva de refúgio para o fotógrafo produzir, tratar as suas imagens e criar novas ideias e conceitos. A intenção dos arquitetos foi ampliar a sala de 30m2 criando um ambiente único na entrada que une um lounge de recepção, mesa de produção da equipa e uma copa e outra sala para o fotógrafo trabalhar com privacidade, receber clientes e ter reuniões. Para isolar o ambiente, foram projetadas portas de correr em alumínio preto divididas em três partes: vidro incolor na base e parte superior para dar a sensação de continuidade do piso e teto, e vidro canelado entre eles, garantindo a privacidade das reuniões.