Já considerado como o ‘novo rústico’, as decorações inspiradas na natureza têm-se reinventado de tal forma que o resultado são atmosferas plenas de caráter.

Fotografia de destaque: Yana Prydalna

Do rústico ao wabi sabi as decorações inseparáveis da natureza, e consequentemente, de matérias primas como a madeira ou o linho, tem aliado o conforto a novas funcionalidades jamais apensadas há poucos anos.

Os tons claros, do branco, ao taupe ou cinzento, mas sobretudo terracota, revelam-se companheiros inseparáveis da matéria prima dominante: a madeira.

Troncos grossos de árvores  fazem as vezes de mesas de apoio, madeira cortada em círculos transforma-se em discos marcadores de pratos e pequenos troncos ou ramos secos ganham lugar de destaque em quadros de parede ou molduras de espelhos originais. Os diversos detalhes extraídos da natureza, utilizando as suas formas naturais e imperfeitas de forma assumida, agitam os ambientes mais frios e minimalistas. Conferem calor e conforto trazendo para dentro de casa uma autenticidade muito própria.

Atualmente até na iluminação encontramos soluções apropriadas a um estilo mais rústico, conjugado muitas vezes detalhes mais modernos.

Rodearmo-nos por elementos campestres, da madeira cada vez menos platinada, às cores claras e conjugação com alguns móveis antigos, possivelmente herdados, é uma tendência que não está, no entanto, confinada a um estilo decorativo apenas. Saba que os acessórios dourados ou em latão conferem o toque diferenciador e de sofisticação que tantos procuram?