Gerhard Heusch reafirma a sua visão, equilibrando design inovador com a envolvente natural. Na sua própria casa, o arquiteto construiu um espaço de trabalho, ao nível do sub-solo, exatamente na área ocupada, em cima, pelo jardim da propriedade.

Fotografia: Federico Zignani

Gerhard Heusch, fundador da Heusch Inc., revelou o novo espaço de escritório de 150m2, localiza-se no subsolo da inovadora Oak Pass Residence em Beverly Hills, Califórnia. Este espaço explora e desenvolve mais ainda as soluções de design inovadoras utilizadas pelo arquiteto na construção da sua casa de 325m2, concluída em 2006, num terreno baldio com natureza abundante com vista para todo o Benedict Canyon.

O novo escritório tem a capacidade de se integrar na envolvente sem alterar o equilíbrio arquitetónico entre a casa construída e a beleza da natureza circundante, seguindo as orientações originais da visão de Heusch para o imóvel.

O ideal arquitetónico de Heusch começou a desenvolver-se em 2000, quando comprou um terreno fantástico, de aproximadamente meio hectare, no qual estava determinado a deixar impressa a sua visão. Com encostas exuberantes a leste e vistas panorâmicas do Benedict Canyon a oeste, Heusch embarcou numa procura de modo a tentar equilibrar o novo edifício com a natureza.

O plano de ação consistia na colocação de 10 colunas de ferro para sustentar a casa elevada no terreno e, dessa forma, mitigar ainda a ameaça de qualquer possível desabamento, tão frequente naquela área. Esta solução inovadora permitiu-lhe ultrapassar o recuo obrigatório de 5 m construindo um muro de contenção muito mais pequeno e menos intrusivo.

Tal estratégia de design forneceu-lhe uma plataforma sobre a qual construir a espaçosa casa moderna, entre a linha de árvores da convidativa encosta. “Os retiros surgem, essencialmente, com a ideia de harmonizar o meio ambiente”, explica Heusch. “Não quis construir uma casa que servisse sozinha de limite entre a encosta e o canion“.

Com tetos de 3 metros de altura e janelas de altura total, o plano aberto projetado por Heusch garante que cada espaço da casa usufrua de vistas espetaculares. P

Por seu turno, para contribuir para esta sensação de espaços ininterruptos e interligados, Heusch escondeu grande parte da infraestrutura da casa, incluindo canos e eletricidade, dentro das colunas.

Como resultado, ao entrar pela porta da frente, podemos ver através das janelas de vidro, e sem qualquer obstrução, um belo carvalho que realça esta estreita ligação entre o ambiente natural e o construído.

O interior da casa térrea é emoldurado por paredes de estuque natural e piso de nogueira brasileira, com móveis, armários e acabamentos customizados que reafirmam a visão minimalista do arquiteto.

Existem três quartos, incluindo dois quartos de hóspedes que podem ser unidos por paredes deslizantes. Paredes e bancadas em mármore espanhol revestem as casas de banho destes quartos, enquanto a casa de banho principal se destaca pelos painéis de calcário português, incluindo uma banheira entalhada à mão de uma só peça.

Para satisfazer a necessidade de uma segunda saída de emergência exigida pelo tamanho da casa, Heusch idealizou outra resolução arquitetónica inovadora: construiu uma pequena ponte e uma escada que liga, descendo a encosta, a sala principal com a piscina e o jardim de estilo zen.

A caminho do trabalho

Depois de concluir a casa em 2006, Heusch passou os próximos anos de sua vida na Argentina, onde trabalhou num projeto de reforma de um hotel boutique. Regressado à Califórnia, em 2010, o arquiteto concretizou a sua vontade de trabalhar no mesmo ambiente inspirador em que morava: estava chegada, por isso, a altura de construir o seu novo escritório – subterrâneo – apelando a um novo design que não fosse contra o desenho da casa.

Heusch decidiu construir este escritório sob a área plana do seu jardim. O processo começou com uma escavação atrás do muro de contenção original que exigiu a remoção do equivalente a 80 camiões de terra.

A zona envolvente da piscina foi mantida intacta, evitando-se quaisquer intervenções na estrutura existente da casa.

Porém, uma das colunas existentes acabou por ser incorporada no projeto. Com a ajuda de um empreiteiro local, Heusch construiu as paredes estruturais de betão, assegurando os detalhes de ferro da estrutura e os acabamentos personalizados.