Não muito longe da praia, num bairro tranquilo, ergue-se esta casa de arquitetura contemporânea, onde as obras de arte e a mancha de verde dominam o olhar. 

Fotografia: António Moutinho Texto: Isabel Pilar Figueiredo Produção: Amparo Santa-Clara

Trata-se de uma construção do início do ano 2000 com arquitetura de José Anahory e segundo o desenho da sua proprietária, que imaginou para aquela casa um microcosmos de bem-estar, com boas áreas e muita luz natural – ou não seja o verde do jardim, eximiamente projetado e cuidado, e a luz bonita do nosso país dois fatores que, combinados, potenciam o charme do edifício.

À entrada da casa, com duplo pé direito, impõe-se a escada, de desenho voluptuoso, e uma parede de vidro, com porta de acesso à sala de estar. Nesta, toda a fachada frontal está voltada para o jardim e é dominada pelas portas de vidro deslizantes. 

A zona de estar é grande e divide-se, por isso, em várias áreas, a dos sofás junto à lareira, a da TV, a da estante cheia de livros, apoiada pela secretária e o computador que nos indicam que ali é um posto de trabalho… 

Nesta sala, numa das extremidades, as portas de vidro igualmente deslizantes conduzem-nos para o escritório do dono da casa; na extremidade oposta localiza-se a sala de jantar, com acesso à cozinha e ao jardim. 

São dominantes em toda a casa, mas em particular na área de estar, as muitas peças trazidas das várias viagens do casal, mas também as fotografias e as pinturas, de artistas nacionais e internacionais, bem como as esculturas de José Anahory.

 
O conforto e as notas de cor, dos artefactos, tapeçarias, peças decorativas e obras de arte, são uma combinação feliz e imprimem, assim se entra em casa, uma sensação de bem-estar. 

Para tal contribui ainda o chão de madeira – que reveste o piso de toda a casa, com exceção das áreas de serviço e casas de banho. 

Com uns bons 750m2 de área útil, apoiados pelo jardim com piscina e as suas várias zonas lounge ,por onde o cão Simba se passeia sem grandes sobressaltos à procura do sol, esta é, diríamos, uma casa pensada para ser vivida sem restrições.  

Neste piso, para além da cozinha, escritório, salas de jantar e de estar, existem ainda um lavabo social, um quarto de visitas e uma suíte.  

No piso superior foram alojadas as restantes áreas privadas com, de um lado, uma suíte e dois quartos e uma casa banho e, do outro, a suíte principal com zona de vestir em corredor e a casa de banho adjacente; esta suíte do casal é servida por uma varanda com ‘chaise longue’ e vista para o jardim.