O projeto refere-se a uma estação de irrigação e spa localizado no distrito de Ilam, no leste do Nepal, uma grande área agrícola que abriga muitas plantações de chá e paisagens deslumbrantes.

Projeto: Margot Krasojević Architecture / Imagens: Margot Krasojević

O briefing exigia que a plataforma de spa e bem-estar, ao ar livre, e a estação de irrigação da água refletissem a natureza em redor. O Nepal, localizado numa latitude subtropical, é conhecido pela variação de climas em diferentes altitudes, com áreas de elevada humidade que conduzem à formação de neblina, como é o caso do distrito de Ilam.

Existem também muitos retiros de saúde especializados em hidroterapia nesta região. Tais factores influenciaram ainda mais o briefing, que resultou na proposta de uma estrutura de aproveitamento de água do nevoeiro para conservar o ambiente natural. E isto deveria ser concretizado através do design, do programa, do planeamento espacial e da arquitetura.

Localizada no leste do Nepal, esta estação poderá produzir entre 3 a 5 mil litros de água filtrada por dia, em média.

A rede de distribuição de água consiste em bombas solares, tubulações, válvulas e uma rede de reservatórios e interseções de tubulações.

A prática de colecta da água proveniente da condensação ou do orvalho é uma tradição antiga – por exemplo, os caules de plantas como stipagrostis sabulicola captam gotículas de humidade que são colectadas todos os dias; tal técnica é ainda hoje usada na irrigação natural no deserto do Namibe.

O povo inca também recorreu a este fenómeno natural, através do uso de baldes, como reservatórios, para recolher o orvalho e a condensação forma debaixo das árvores. Da mesma forma, as pedras vulcânicas, em Lanzarote, foram usadas para reter a névoa e o orvalho para aproveitar a água.

O spa usa este aproveitamento de água do nevoeiro e resume-se em três partes principais: a estrutura do edifício, um ‘berço’ embutido na paisagem e as bacias que colectam a água filtrada do nevoeiro. Em conjunto, formam a piscina do spa e um reservatório de maiores dimensões para irrigação e fornecimento de água potável.

As redes de nevoeiro são tecidas usando uma malha Raschel. Este tecido capta a maioria das gotículas de água, dependendo da direção do vento. O nevoeiro, composto por milhões de gotículas de água, é obstruído pela malha e escorre para a calha de colecta, canalizada através da rede de tubulação para ser armazenada nas piscinas de irrigação do spa e do campo. O edifício está em equilíbrio desde a extremidade do local. O centro da gravidade das redes paira, parcialmente suportado pela piscina.

A água do nevoeiro é armazenada por três piscinas, uma dentro interior, e as outras duas que fornecem o spa, a irrigação do campo e o abastecimento de água potável.

A água de nevoeiro aproveitada é armazenada em valas, o que leva ao aumento da pressão na câmara do spa. Tal, juntamente com as bombas solares, empurra a água do nevoeiro através da rede de tubulação de água. A água flui através dos filtros e de todo o esquema, até chegar à piscina do spa e ao reservatório de irrigação da água.