No centro histórico da Vila de Ansião, uma casa existente com algum valor histórico, pontua e delimita a frente do terreno da implantação.

Projeto: Bruno Dias Arquitetura / Fotografia: Hugo Santos Silva / segundo a memória descritiva

À nossa vista, encontramos duas arquiteturas distantes, não só separadas pelo tempo, mas também pela diferença na forma de edificação. Procurando-se estabelecer uma simbiose entre as duas, através do respeito que mantém pelo existente. Esta relação surge de uma forma tão natural, que nos faz pensar que uma nunca existiria uma sem a outra.

O terreno é delimitado por muros e construções que lhe são adjacentes, desta forma a opção de criar um pátio interior, para onde todos os compartimentos desaguam, atribuindo à casa um carácter intimista que vive para o interior, garantindo mais privacidade. Assim, a implantação surge não só a partir das características do local, mas também com base na proporção de ouro. Isto porque, o corpo humano é a ilustração mais notável e óbvia da regra de ouro, e a presença humana é o elemento essencial na definição de Casa.

A procura por cores e materiais mais quentes no interior proporciona um maior conforto espacial.

Já no espaço exterior, e tendo como base os materiais preexistentes, são destacadas as linhas originais da casa e mantém-se a mesma linguagem no novo volume, conferindo assim um carácter unitário e uniforme a toda intervenção.

FICHA TÉCNICA

Localização: Rua Doutor Domingos Botelho de Queirós, Ansião
Projeto: fevereiro/2015 – março/2016
Construção: 2016 / 2017
Cliente: Rosa Morgado e Leonel Morgado
Área de construção: 487m2
Arquitetura: Bruno Dias Arquitetura
Equipa de Projeto: Bruno Lucas Dias, Humberto Lopes, Joana Zuna, Eungénia Gomes
Construtor: Pireslar – Construções, Lda e Carlos Miguel Mendes Silva
Fotografia: Hugo Santos Silva