Concebida como um agregado de divisões adjacentes na paisagem, a casa está situada num terreno inclinado com forma triangular. A circulação pelos vários espaços revela, a cada passagem, vistas do mar.

Fotografia: Yiorgis Yerolymbos

O projeto, na ilha grega Skiatho, da arquiteta sediada em Nova Iorque Lydia Xynogala, assenta o seu conceito numa série de espaços paralelos criados por muros de contenção, uma característica comum na paisagem mediterrânea circundante. Cada volume está numa elevação diferente, seguindo a topografia e contém um programa específico. A escada faz a inclinação fluir para dentro da casa; a experiência interior é a de um observatório.


Focados numa grande abertura virada a sul, cada um dos espaços (salas, quartos, cozinha…) contempla o mar e são complementados por um volume mais pequeno, a norte, em direção à encosta. Estas aberturas também asseguram a desejada ventilação cruzada em cada sala e quarto. O conceito de “agregado” foi determinante para a forma e a seleção de materiais. Unidos pelas suas paredes de cimento bruto, pelo piso de terrazzo, pelos telhados cheios de cascalho e plantas, estes volumes, apesar de separados, formam um só.
As portas deslizantes que correm através das paredes duplas marcam a passagem de um espaço para o outro. A noção de um “corte” através das sólidas paredes de cimento é enfatizada pelo mármore cinza das extremidades. Voltadas de frente para a estrada, as fachadas leste e oeste não têm aberturas; solução que ajuda a proteger ainda mais o interior do sol. A configuração dos espaços pouco visível transmite privacidade com vistas totais para o mar. Foram utilizados materiais familiares nos interiores residenciais gregos mais antigos, nomeadamente chão de terrazzo, mármore e reboco de gesso, mas aqui presentes em espaços, formas e combinações pouco usuaus.

Localização: Skiathos Island, Grécia
Conclusão: 2016
Área: 200 m²
Fotografia: Yiorgis Yerolymbos