Diego, o cliente, procurava uma solução para o recém adquirido loft de 59m² em Porto Alegre. O espaço não refletia o seu desejo de morar num apartamento com todos os ambientes integrados.

Fotografia: Cristiano Bauce / segundo a memória descritiva dos arquitetos

Como estratégia inicial, os arquitetos do coletivo Arquitetura Nacional decidiram repensar todo o piso principal, transformando-o numa área só, integrando os vários espaços. A casa de banho existente foi removido e a área de serviço integrada na cozinha sob a forma de armários. A escada linear também foi substituída por uma outra, helicoidal, no centro da sala.

A área do mezanino foi ampliada em 9m², deixando o quarto mais confortável e possibilitando a criação de um closet.

O WC existente neste piso foi mantido e serve agora todo o loft. A estrutura da ampliação suporta também a carga da escada. Totalmente em aço, a peça escultórica é suspensa, não tocando o chão.  

A paleta de materiais conservadora procura conferir amplitude e unidade ao espaço. Azulejo hidráulico, contraplacado marítimo carbonizado e cimento configuram os três planos principais do projeto.

Os planos de vidro receberam internamente uma brisa vertical que possibilita o controle da entrada de luz e emoldura as visuais do entorno.

O projeto de iluminação tira partido das decisões arquitetónicas, destacando os principais elementos projetados, bem como permitindo a criação de diversos cenários.

A curadoria do mobiliário combina peças de arquitetos e designers brasileiros, tendo como elemento de destaque o sofá de duas faces que articula os dois ambientes de estar.

Além do rigoroso detalhe da escada, o loft inclui outras soluções, menos vulgares, como as peças de azulejo que, além da parede, revestem o móvel sob a TV. O painel em contraplacado marítimo carbonizado oculta a infraestrutura elétrica e de domótica do projeto.

FICHA TÉCNICA

Localização: Porto Alegre
Área: 68m2
Projeto: Arquitetura Nacional
Fotografia: Cristiano Bauce