Situada numa clareira, entre uma série de funções domésticas ao ar livre destacam-se um poço, a plataforma para uma tenda, um pátio de pedra para refeições ao ar livre, uma fogueira, um trailer, uma zona de estacionamento, garagem, árvores, nomeadamente, alfarrobeiras , dois riachos e muita relva espontânea.

Fotografia: Naho Kubota / segundo a memória descritiva

A Open House é um projeto do coletivo de arquitetatura Levenbetts, e propõe uma maneira alternativa de viver no espaço doméstico, abordando a sua relação com o local, a natureza e o sol, dando prioridade à forma do espaço, às qualidades da luz e ao material empregue bem como à ligação visual e formal do espaço interior. Características: uma generosa área de terreno, um poço, um pátio de pedra para refeições, uma lareira, várias árvores, entre elas alfarrobeiras, e uma ampla zona relvada. A casa foi organizada com base na ligação com esses elementos externos, adaptando-se o espaço a um programa interno específico.

A abertura da casa e esta relação entre funções interiores e elementos específicos do lugar influenciaram o layout, em que cada espaço tem uma porta para o exterior, para um contacto direto com o jardim.

As paredes de vidro são desiguais, forçando a perspectiva e o foco de cada ambiente. Como todos os espaços podem ser atravessados, ​​não há portas dianteiras ou traseiras, já que todas – portas e janelas – permitem a passagem reforçando a ideia de que a casa é como uma confortável e elegante tenda montada na clareira. A superfície externa de estuque branco destaca as cores do seu ambiente natural e os espaços interiores são de madeira compensada nos pisos, paredes e tetos.