Uma penthouse de 550m2 com vista para o mar (e para a piscina!). O apartamento pertence à arquiteta Renata Zappellini que optou por um estilo de decoração que tem vindo a reunir cada vez mais adeptos.

Fotos: Juliano Colodeti, MCA Estúdio

A arquiteta Renata Zappellini, do do Renata Decor,  abriu as portas do seu duplex onde vive com o marido e os dois filhos. Numa primeira fase, a habitação necessitou de obras de restauro, o que permitiu uma maior personalização da decoração, bem de acordo com os gostos e necessidades desta família.

Habituada a orientar os seus clientes via online, Renata aplicou os seus próprios conhecimentos no projeto de interiores da sua casa.  A opção recaiu numa base neutra, com tons de branco, preto e cinzento, além da forte presença da madeira e dos toques pontuais em azul Klein. O estilo hi-lo é uma constante em todo o apartamento, esta tendência democrática que se adapta na perfeição a uma forma de vida contemporânea. Caracteriza-se por misturar de elementos simples com outros elegantes.

No andar superior, a habitação tira proveito de uma planta circular, que integra as diferentes áreas de convívio social. A área gourmet esta interligada com a sala de estar e uma varanda com portas de correr voltadas para a área da piscina.

Na imagem, podemos ver a candeeiro Zettel´s, de Ingo Maurer, comprado em Barcelona e que paira sobre a mesa de jantar composta com cadeiras de design, assinadas por Jader Almeida, Sergio Rodrigues e Etel Carmona.

Na zona de estar, as paredes cobertas por painéis de madeira exercem uma dupla função: “além de decorativo, o painel esconde um louceiro, uma porta do lavabo e o acesso ao quarto de hóspedes e à brinquedoteca”, revela Renata.

A porta de correr, pintada na cor azul Klein, é um dos pontos fulcrais da sala, bem como o recamier (móvel que  se assemelha a um sofá) estilo Luis XV, estofado em veludo preto, da marca italiana Modà. “Escolhi o azul pois, além de ser minha cor preferida, remete ao mar e traz tranquilidade”, acrescenta a arquiteta, que tem ainda uma poltrona Proust, de Alessandro Mendini para a Magis, no mesmo tom.

São várias as peças desenhadas pela própria e executadas pelo estofador, vidraceiro e marceneiro. Juntas proporcionam uma decoração mais personalizada, exclusiva e de acordo com a necessidade dos moradores.

Ao descer a escadas deparamo-nos com um elemento invulgar. “O lettering na parede é de Marcelo Lamarca, feito para a festa de 40 anos do meu marido, quando a laje ainda não estava pronta. O tema da festa era “urban” e ele grafitou toda a parte de cima. Este foi o que conseguimos manter”, partilha a moradora.

Ao descer, a área social mantém uma paleta mais sóbria, em preto, branco e caramelo. Entre os destaques, a exuberante poltrona Monalisa, de Cíntia Gomes, e a coleção de pratos da Fornasetti, adquiridos em viagem.

Já nos quartos, a arquiteta adotou uma paleta coerente com o restante do apartamento, com painéis em madeira freijó para cobrir as as paredes. A cabeceira tem textura de couro e as roupas de cama e almofadas têm tema geométrico. “Procurei traduzir, em todo o apartamento, esse conceito minimalista e hi-lo (high-low). Gosto muito de misturar peças e o ar despojado e clean dos espaços é mesmo a nossa cara!”, conclui a arquiteta.