Por a 22 Março 2022

Projeto: L’átelier , Nomadic Architecture Studio / Área: 50 m2 / Ano: 2021 / Localização: Paris, França / Fotografias: Tim Van de Velde

Uma família residente em Paris, transformou um T1 numa casa para cinco pessoas. O projeto desenhado pelo L’atelier, foi pensado para ser evolutivo e ir-se adaptando às mudanças dentro da própria família.

Com um mercado imobiliário sempre sobre pressão, na capital francesa os apartamentos pequenos são uma realidade inegável. E se a isto juntarmos um “novo normal”, em que o teletrabalho está mais presente do que nunca, os desafios são imensos.

Nos últimos três anos, o  L’atelier trabalhou no desenho de mais de 40 pequenos apartamentos na zona de Paris. Com base nessa experiência, conseguiram identificar alguns projetos recorrentes. Por exemplo: converter um sótão num apartamento; adicionar um quarto para uma nova criança a um apartamento já pequeno; ou, como no projeto que mostramos aqui, projetar um apartamento familiar com 10 m² por pessoa.

O desafio foi super ambicioso: transformar um T1 de 50 m2 numa casa para uma família de cinco (um casal e três crianças de 18, 15 e 7 anos). O cliente tinha descoberto o L’atelier na Internet e esperava que eles fossem capazes de concretizar o seu pedido, devido à sua experiência em pequenas habitações e otimização de pequenos espaços.

O L’atelier iniciou o processo de trabalho com um diagnóstico, que segundo a equipa, é uma etapa crucial uma vez que revela as oportunidades e restrições do projeto. Nessa fase, os arquitetos ficaram a saber que: a planta geral do apartamento é quase quadrada, o que é uma vantagem para integrar todos os espaços necessários; Pese embora a área reduzida, o apartamento desenvolve-se da frente para o fundo do prédio e tem apenas sete metros de comprimento, portanto, todos os espaços tinham luz natural; Por último, tem um pé-direito de três metros, que oferece muitas oportunidades.

Com base nesta análise, o L’atelier decidiu criar uma área de estar que vai da frente para trás do edifício para aproveitar a luz da manhã e da noite. Este espaço é subdividido para criar subespaços abertos – uma cozinha e sala de jantar de um lado e uma sala de estar do outro. A entrada está integrada como parte desta área de estar, na junção de dois subespaços.

Para os quartos e casa-de-banho, foi criada uma área compacta e vertical. A zona dos quartos é acessível através de uma escada na sala de estar.

Outro fator importante neste projeto foi o tempo. Os dois filhos mais velhos seriam independentes em poucos anos, então havia a necessidade de o apartamento se adaptar e evoluir para que, eventualmente, sobrasse apenas um quarto depois dos filhos saírem de casa. Portanto, o L’atelier desenhou o projeto em três fases diferentes e incluiu algumas divisórias facilmente amovíveis.

No seu estado original, o apartamento pode acomodar cinco pessoas, e esse layout permanecerá como está pelos próximos três anos. Quando os dois filhos mais velhos sairem, a parede do quarto dos pais será removida para criar uma sala maior. Finalmente, em cerca de dez anos, quando o menino mais novo for embora, os dois quartos restantes fundem-se para formar um quarto maior para os pais.