Entre as suas inúmeras qualidades está a capacidade de modernizar os espaços.  Mesmo que, por vezes, concorra com outras tonalidades o cinzento é bastante mais fácil de integrar na decoração do que possa (à partida) imaginar! Ora veja.

Fotografia de destaque: João Peleteiro

Está entre as tonalidades mais usadas em decoração nos dias que correm. Surge, frequentemente, como personagem secundária, em elementos discretos como sofás ou tapetes, por exemplo. Contudo, os seus pigmentos escondem inúmeras qualidades que valem a pena destacar.

Não raras vezes, é uma cor neutra associada à ausência de emoções, o que por aqui, não podíamos discordar mais! Alguém se lembra do nosso ‘50 sombras de Grey’?

Além de sofisticado e elegante o cinzento combina com tudo, dos tons mais claros, aos mais neutros e vibrantes. Com a preponderância dos estilos escandinavos e industrial o cinzento ganhou maior destaque. Pode ser usado em qualquer divisão, da cozinha, à sala, passando pelos quartos e ganha mais impacto quanto mais o combinarmos com determinadas cores, como o amarelo ou o encarnado, por exemplo.

Segundo a revista cientifica Galileu os humanos podem distinguir até 30 tons de cinza. Cinza-claro, cinza-escuro, cinza-chumbo, cinza-asfalto, cinza-azulado, esverdeado ou antracite, entre tantos outros… Naturalmente que isto também está relacionado com a nossa própria perceção da cor, mas a verdade é que o cinzento e as suas múltiplas nuances são, seguramente, uma boa aposta.

É uma cor que confere enorme caráter às divisões mesmo estando, muitas vezes, presente em elementos improváveis como painéis de divisórias ou caixilharia de portas e janelas.

Existe, não uma, mas muitas formas de usar este tom que está longe de ser sombrio. Desde há uns tempos tem sido fortemente usado nos interiores e, acredite, a energia que emana é realmente boa.

Por tudo isto, partilhamos 10 ambientes que reforçam a ideia de que apostar em paredes cinzentas é sempre uma boa opção!