Junto ao Miradouro de Santa Luzia esta casa, alvo de uma profunda remodelação, combina tradição e modernidade

Fotografia: João Peleteiro Produção e Texto: Amparo Santa-Clara

A pequena aldeia dentro de Lisboa formada por ruas íngremes, prédios típicos e pavimento em calçada transformou-se num local cosmopolita que – fora o contexto covid -, atrai turistas em qualquer altura do ano.

As suas casas têm vistas privilegiadas para o rio Tejo, igrejas ou simplesmente para a movida das  ruas estreitas. A que hoje aqui vos mostramos goza ainda da densidade e beleza da luz única que só Lisboa conhece.

O T2 de 100m2 chegou às mãos dos dois irmãos de proprietários, a ‘gritar’ por ajuda. Paredes de estuque a saltar, gessos danificados nos tetos, azulejos de parede partidos, carpintarias roídas, portadas empenadas e pavimento gasto… descansaram, finalmente, em paz.

A total e completa renovação comandada pelo Atelier Decoralista, com projeto de design de Interiores chave-na-mão, permitiu uma nova e próspera vida ao imóvel.

Tendo como ponto de partida a máxima manutenção e recuperação dos elementos arquitetónicos da habitação, a dupla de profissionais, Mafalda Galamas e Luís Ribeiro, procurou reforçar e dar intensidade a elementos tão singulares como a cruz de Santo André ou os azulejos pintados à mão, aplicados na parede da sala. A iluminação não foi descurada tendo sido, aliás, pensada ao máximo detalhe, de forma a enfatizar determinados elementos e potenciar a criação de ‘cenários’, de acordo com os objetivos de cada momento, ou hora do dia.

Completaram-se azulejos, renovaram-se portadas e pavimento. As tábuas corridas de madeira imprimem agora uma sensação de apartamento ao apartamento não notada anteriormente. A arquitetura de interiores foi pensada de forma integrada, tendo sempre em mente formas de trazer alguma contemporaneidade ao espaço. Os revestimentos da cozinha e casas de banho, com efeito mármore combinados com torneiras douradas, resultam na sofisticação desejada pelos novos proprietários.

Parte do desafio dos profissionais do Atelier consistiu em desconstruir a atmosfera deste espaço com uma decoração mais alternativa, e pouco provável, num ambiente com assumidas características clássicas. O sofá camel conjugado com elementos pretos, e as diversas obras espalhadas pela sala no chão, assentes no aparador, ou aplicadas na parede, são alguns dos elementos a destacar.

Ao longo do apartamento podem ser encontrados detalhes de estilo mais industrial, numa característica usual (embora suave) do Atelier Decoralista. As cadeiras de jantar – em couro, os bancos altos – de ferro, na cozinha, e muita da iluminação aludem a este estilo.

A sala com contacto visual para a cozinha de linhas direitas, promove uma leveza a ambos os ambientes que agora podem ser desfrutados, em simultâneo, numa qualquer reunião de amigos.

A caminho das duas suítes encontramos o lavabo, totalmente forrado a papel de parede, combinado com bancada de madeira maciça, lavatório de pedra natural e alguns elementos improváveis tornam esta zona húmida num local acolhedor e até convidativo.

Embora semelhantes em tonalidades, o estilo das duas suítes difere intencionalmente. Uma mais sofisticada com boiseries na parede com interior forrado a papel palha, cabeceira de cama em capitoné de veludo preto e alguns detalhes dourados.

Na segunda suíte, a parede parcialmente forrada com painel de madeira permite o conforto que só a madeira imprime aos espaços. Este material, combinado com o tom antracite assegura uma forte personalidade ao quarto, igualmente pontuado com detalhes dourados.