Um projeto assinado pelo arquiteto Nuno Pestana cujo resultado final cheira a primavera!

Fotografia: Paulo Lima Produção: Amparo Santa-Clara

Texto: Mafalda Galamas

O pequeno apartamento de 50m2 de área interior, mais 12m2 de exterior, destinado a um jovem solteiro, é a prova de que com a ajuda de profissionais os espaços são sempre potenciados e valorizados. Quando Nuno Pestana chegou ao imóvel situado a poucos metros da Av. da Liberdade, este era um espaço escuro, fechado, e a gritar por ajuda. O ateliê Alçado Versátil assinou não apenas a decoração da habitação, mas também o projeto de reabilitação do imóvel.

Ganhamos a perceção de que estamos a entrar num refúgio urbano logo aos primeiros passos. A frescura que o verde potencia é permitida desde logo, no hall, pelas paredes pintadas num tom “verde azeitona”. A cor acolhedora tem sido uma tendência forte neste ano de 2019, e é uma constante nas várias divisões da casa.

A sala, espaço nobre por excelência, começa por desvendar um recanto de trabalho, perfeitamente integrado na divisão. A secretária de apoio é industrial e foi adquirida na Maison & Objet. Acompanha o conjunto de quadros de parede com clássicos da arquitetura italiana.

Num só espaço verificamos que Nuno Pestana tirou partido da brincadeira de texturas na mesma tonalidade. Da tinta verde seco das paredes, ao papel texturado a imitar favos de mel  que faz as costas do sofá. Este, tem cor neutra, e deixa brilhar os restantes elementos, como são o caso dos espelhos redondos industriais e das mesinhas de centro, de vidro pintado com efeito mármore assentes no tapete persa.

Frente ao sofá existia um armário embutido na parede que hoje é uma estante. Agora, sem portas e pintado de branco, cumpre novas funções, mais adequadas a uma sala. Junto a ele repousa um cadeirão estilo anos 70. Está virado para a sala de jantar que é, na verdade, mesmo ali ao lado…

A mesa de madeira nogueira é extensível e as cadeiras têm o conforto da pele no estofo. A iluminação suspensa feita de bambu volta a reforçar os elementos naturais presentes neste projeto. Assim como, os quadros de apontamentos botânicos pendurados na parede junto à mesa de refeição. Mal sentimos que estamos com um pé na cozinha. O facto de ter a mesma cor do resto da casa, em paredes e armários, faz com que esta divisão se funda com o resto.

Em obra, uma das primeiras intervenções arquitetadas por Nuno Pestana, foi a grande abertura do apartamento, (e da sala em particular), ao exterior. Hoje, a zona de estar tem continuidade para o terraço nos mesmos tons. As paredes são revestidas a microcimento e o pavimento quadriculado imita o mosaico hidráulico antigo. 

Também aqui o arquiteto criou uma zona lounge e uma de refeições com mesa de fibra e pés metálicos. A vegetação, assente no chão ou nas floreiras suspensas ajudam à sensação de ter a natureza por perto.

No único quarto da casa, Nuno Pestana optou por uma cabeceira de cama em capitonê, veludo verde, que encosta ao papel de parede efeito bambu da Henrique e Rodrigues. As duas mesinhas de cabeceira industriais, são em ferro e madeira, e acompanham os dois candeeiros de cerâmica pretos.