Geralmente servem um propósito, e nem sempre é meramente estético. Ainda assim a sua existência é uma mais-valia e podem ser decorados de inúmeras maneiras.

Fotografia de destaque: Patrick List

Um nicho é um espaço com alguma profundidade, embutido na parede, com três lados fechados e apenas a frente aberta. Do ponto de vista arquitetónico acrescentam valor também pelo facto de quebrar o padrão reto das paredes, uma vez que inúmeras vezes são construídos em forma de arco. Geralmente responde a uma necessidade e quase sempre agrega interesse arquitetónico às divisões onde se encontram.

Por vezes, também acontece terem ‘nascido’ de forma aleatória mas, regra geral, a sua construção exige planeamento e está associado a um objetivo, como por exemplo, potenciar o espaço de armazenamento.

É, por isso, comum vemo-los a fazer as vezes de bibliotecas, apoio de tv, tampo de secretárias, prateleiras para toalheiros e acessórios ou até servir de sapateiras. Embora, e a verdade seja reposta, na maioria das vezes os vejamos apenas instalados como prateleiras de suporte a  acessórios decorativos.

Quando não fazem parte da arquitetura da casa, podem ser executados de diversas formas e materiais, em pladur, com as costas em madeira, pintados no seu interior ou até forrados a papel de parede. Os seus formatos e acabamentos podem ser os mais diversos e se lhes quisermos adicionar maior dramatismo basta contemplar iluminação indireta, como forma de realçar o seu interior.

Para que comprove as potencialidades desta característica arquitetónica, selecionámos algumas propostas diferentes e cheias de pinta! Ora veja:

Patrick List
marca Mentemano
Mentemano
José Manuel Ferrão
Paulo Lima
João Peleteiro
Phillip Vile
José Manuel Ferrão
João Peleteiro
Phillip Vile