É escandaloso, inclusivo e fantástico, mas não leve. Um hotel com clientela que procura o prazer.

Cliente: The Sydney Collective / Localização: Erskineville, Sydney, Austrália /Arquiteto Principal: Jeremy Bull, Sophie Harris / Equipa de Design de Interiores: Larissa Raymond, Faye Madison, Lucy Forlico, Rouda Taouk / Data de conclusão do projeto: fevereiro de 2017 / Fotógrafo: Anson Smart

Os três pisos do Imperial Hotel Erskineville são um “palácio do prazer”. Este projeto representa o relançamento de um dos refúgios LGBQTI mais respeitados da Austrália. Como um ícone cultural, foi o berço do filme Priscilla e desempenha um papel fundamental na comunidade de Sydney como um espaço histórico de teatro e eventos. É dinamicamente programado e responsivo, mudando do jantar para a pista de dança com facilidade. O projeto é assinado pelo atelier de Alexander & Co.O piso térreo é composto por um restaurante de 250 lugares chamado Priscillas e foi concebido como um palácio perdido, um sonho de cabaré de esculturas de piso de pedra colocadas ao acaso e detalhes de madeira. Várias superfícies de vidro com estrutura de aço e clarabóias projetam sombras sobre a alvenaria, os arcos de alvenaria e o padrão de ladrilhos feito sob medida. A cera derretida da lareira central e a lareira, em contraste com as formas de cores vivas dos móveis e os tons sujos de rosa dos tetos e paredes detalhados são outro dos fatores a destacar.O projeto é iluminado por vários tons de candeeiros reaproveitados e arandelas de parede de latão. Pingentes com franjas cuidadosamente selecionados projetam as suas sombras sobre as mesas, enquanto a entrada principal é notavelmente iluminada por candelabros. O espaço também possui uma área de jantar privada com uma grande escultura de papel e a cozinha aberta. O bar principal apresenta um mural de teto pintado à mão sob medida com o bar de cocktails teatral adjacente que abre para um recinto envidraçado onde está o pátio interno e o jardim de inverno.O projeto tem o cuidado de reimaginar este ícone de edifício cultural num local de fantasia, respeitando os seus guardiões LGBQTI. É escandaloso, inclusivo e fantástico, mas não leve. Entre a variedade de cores e formas está o peso do seu legado, a sombra da história projetada nas suas muitas superfícies. Este é um lugar para celebrar e redescobrir, mas também um local com legado significativo, coragem, às vezes até algum peso.Embora o projeto pareça muito decorativo, reúne de facto uma coleção de materiais de construção robustos tratados com maquilhagem. Trabalhos de tijolo, cimento, aço, todos representados em cores e brilho. Algo na metáfora do restaurante Priscillas é a capacidade de essa brutalidade nunca parecer um espaço de obras, mas sim um teatro de cores, um ultraje visual.A pizzaria e bar do nível superior é designada Imperial UP e possui um forno de pizza dourado ao ar livre e um bar de cocktails coberto, sala de jantar privativa, lounge e área de estar. Há também uma discoteca no nível inferior e a primeira catedral para o casamento do mesmo sexo da Austrália, que deve abrir em 2019, no último piso.

Sobre a Alexander & CO

Alexander & CO é um coletivo de design multidisciplinar com alcance global. As suas valências  abrangem uma ampla gama de setores tipológicos, atuando em todas as facetas do design espacial e de marca. A sua base de competências técnicas inclui Arquitetura, Design de Interiores, Gestão de Projetos, Styling, Branding e Master Planning.

 

Sem mais artigos