O atelier de arquitetura sediado em Londres Asif Khan já revelou o seu novo projeto, um pavilhão, totalmente preto, revestido Vantablack VBx2 para as Olimpíadas de Inverno de Pyeong Chang (2018) na Coreia do Sul. O exterior do edifício é iluminado por um ‘campo’ de estrelas que parecem flutuar no ar. O pavilhão foi encomendado pela Hyundai Motor como parte de uma iniciativa de mobilidade global.

 

As fachadas parabólicas de 10 metros de altura são revestidas com um material preto-total: Vantablack VBx2, um derivado do Vantablack original, tornando-se a maior nanoestrutura contínua do mundo. O material preto mate é capaz de absorver 99% da luz que atinge a sua superfície, diminuindo a tridimensionalidade e criando a ilusão de um vazio negro surpreendente em plena luz do dia. As fachadas do pavilhão são pontuadas por milhares de minúsculas luzes brancas que, durante o dia, simulam a visão no espaço a partir daquele ponto na terra.

 

Asif Khan, PyeongChang 2018 © Luke Haye

Asif Khan, PyeongChang 2018 © Luke Haye

Asif Khan, PyeongChang 2018 © Luke Haye

Asif Khan, PyeongChang 2018 © Luke Haye

 

O pavilhão foi encomendado pela Hyundai como parte de uma série de projetos que destacam a missão da marca para melhorar a vida das pessoas através da mobilidade. Com a sua tecnologia pioneira (a marca desenvolveu o primeiro veículo movido a hidrogénio), a Hyundai prevê uma  sociedade onde a mobilidade seja sustentável e acessível. A fachada preta do pavilhão representa o Universo – a origem do hidrogénio – e as gotas de água interativas dentro do edifício são inspiradas por moléculas de hidrogénio individuais. Asif Khan trabalhou com o fabricante para encapsular a sua visão para o futuro do automobilismo através da arquitetura, design e experiência do visitante.

Asif Khan trabalha com os fabricantes de Vantablack desde 2013 e propôs o seu uso na proposta de seleção para o Pavilhão do Reino Unido na Expo 2015 de Milão. O edifício preto-total de Asif Khan nos Jogos Olímpicos de Inverno de 2018 segue os seus projetos para o pavilhão histórico da Coca-Cola nos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e o pavilhão MegaFaces nos Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi 2014.

Asif Khan, PyeongChang 2018 © Luke Haye

Asif Khan, PyeongChang 2018 © Luke Haye


Dentro da estrutura de 35m x 35m, Khan projetou uma vasta “sala de água” – uma instalação de água hidrofóbica multi-sensorial que emite a cada ano 25.000 gotas de água singulares. A interação do visitante com uma série de sensores hápticos cria novos ritmos à medida que as gotículas colidem, se juntam e se dividem continuamente através da paisagem aquática, que aparece como uma cidade vista do espaço. Estes fluxos de gotículas individuais acumulam-se, crescem a avolumam-se num “lago” que drena e reaparece em poucos minutos.

Asif Khan: “Vista à distância, a estrutura tem a aparência de uma janela que observa as profundezas do espaço exterior. À medida que nos aproximamos, essa impressão cresce para preencher todo o  campo de visão. Ao entrar no edifício, parece sermos absorvidos por uma nuvem de escuridão.

“Os visitantes da instalação aquática descobrem, no interior, como tudo é brilhantemente iluminado a branco. À medida que os olhos se ajustam, sentimos por um momento que as pequenas gotas de água estão na escala das estrelas. Uma gota de água é do tamanho a que todos os visitantes estão familiarizados. No projeto, eu queria passar da escala do cosmos para a escala de gotas de água em alguns passos. As gotículas contêm o mesmo hidrogénio desde o início do universo como as estrelas “.

O primeiro edifício preto-total do mundo abrirá na cerimónia de abertura PyeongChang 2018 a 9 de fevereiro de 2018.

Sem mais artigos