O apartamento de 100 m², localizado numa torre de construção recente no centro de Telavive (Israel), à semelhança dos apartamentos modernos na cidade, não oferecia nenhuma característica diferenciadora, como tal os seus jovens moradores optaram por ‘desfazer’ o interior e aproveitar o programa original, em open space.

Segundo a memória descritiva via Archdaily; imagens dos arquitetos

Os arquitetos do coletivo RUST observaram o espaço como uma tela em branco, partindo do zero. A maior parte da casa já tinha um enorme ponto a favor: as suas fachadas exibiam janelas do chão ao teto.

Os clientes, o jovem casal, desejavam tirar o máximo partido do apartamento, dos espaços, pretendiam a otimização da casa com poucas funções, mas preservando a sensação de loft, e a combinação de materiais acolhedores e matérias-primas como o ferro, o vidro e a madeira em bruto.

Todos os detalhes foram gizados pelos arquitetos, da marcenaria ao ferro.

Elementos antigos, como as portas de armário antigas da casa da avó do cliente, foram usados ​​para os novos armários e alguns dos móveis e luminárias foram recuperados.

Paralelamente, estes elementos antigos combinam com o espaço, desenhado com um toque moderno.

O teto de cimento aparente, para que todos os sistemas de iluminação sejam visíveis, a área de trabalho fechada por divisória de ferro preto e com o recurso a materiais naturais deram origem a uma bonita combinação e contribuem hoje para a sensação de uma casa confortável.

Uma fachada de madeira no quarto principal esconde o WC e o armário. Detalhes de ferro aplainados como soluções para a casa de banho, que fica ao lado da fachada transparente, foram igualmente aplicados.