Arquitetura: Todos + Estúdio OR+K / Fotografia: André Klotz / Ano: 2021/ Segundo a memória descritiva, via ArchDaily

Na primeira incursão no Estado da Bahia, os arquitetos do Todos Arquitetura ocuparam-se da decoração de uma casa de 330m² projetada pelo Estúdio OR + K destinada a aluguer por temporada.

Com tal em vista, era necessário manter uma certa neutralidade, mas sem prejuízo do clima rústico e chique tão marcante do Quadrado, o principal ponto turístico da povoação, onde a casa se localiza – e se destaca, pelo uso do branco ao lado das outras construções coloridas em redor.

Destacar a qualidade das peças produzidas por artesãos locais e reaproveitar materiais pautaram grande parte das intervenções, a começar pela canoa transformada em banco que fica na frente da casa.

A mesa de centro tem a assinatura de Hugo França. Sofá da Carbono Design e cadeiras vintage de vime da Garimpo Moderno. Preciosos fornecedores locais: mesa lateral, abajour e vasos da Cerâmica Calá, tamborete do mestre Luiz Benício.

Poucos elementos, mas de importância, vieram de fora. Caso do armário feito com madeira de demolição que chegou de São Paulo com o destino traçado: transformar-se-ía em bar. A parede atrás deste foi erguida na medida certa das suas costas, já com a missão de protegê-lo.

Nas quatro suítes, no WC, na cozinha e no amplo living, a linguagem é a mesma: materiais simples, refinados pela mão de obra local, dão o tom rústico e elegante que permeia todo o projeto. Cimento queimado, cobre, madeira de demolição, cerâmicas reaproveitadas e o sol da Bahia bastam.

A fruteira de barro é assinada pela arquiteta Janete Costa, uma das grandes defensoras da cultura popular no design.

A estrutura de dossel, necessária para proteger contra mosquitos parafusada na estrutura da cama.

Distinta ente das outras construções coloridas do Quadrado, região central do povoado de Trancoso, a casa recebeu apenas tinta branca na fachada, o que ressalta ainda mais as madeiras reutilizadas em portas e janelas. Ao lado, outro exemplo inusitado de reciclagem: a canoa já sem uso virou banco e repousa sobre a cerâmica terracota recuperada.

A suite principal goza do privilégio de uma piscina particular cuja água vai aquecendo ao longo do dia. É quase irresistível tomar um banho quentinho ao cair da noite. Ao lado, a poltrona rede tem design de Mauricio Arruda.

O armário feito de madeira de demolição veio de São Paulo especialmente para assumir o destaque no living como móvel-bar.

Na cozinha, a ilha central otimizou o espaço e ajudou a multiplicar a área de trabalho e de refeições, necessárias numa casa de férias. O trecho central recebeu tampo de granito, enquanto as bancadas laterais são de cimento queimado resinado.

Nota de destaque para as janelas com vidro martelado colorido. As torneiras e luminárias foram feitas pelo artesão local Nei Cobre, e os armários ripados, pela Marcenaria Dati. Bancos da MTrancoso e tábuas da Toko Design Utilitário.

Espelho e torneira de cobre reafirmam o talento da produção local. O responsável é Nei Cobre. Cimento queimado resinado dá forma à bancada, lavatório e reveste todo o ambiente, criando uma atmosfera ao mesmo tempo rústica e elegante.

Um dos raros pontos de cor neste projeto mora na cadeira Cobra Coral, criação de Sergio Matos. Acima dela, peça de madeira decorativa vinda da Divino’s Trancoso. Note ainda para o subtil ondulado das paredes – efeito do reboco santa-fé, comum tanto em casinhas mexicanas como nas espanholas e mediterrânicas.

O que foi mantido: desenhos que já estavam na casa e que agora expostos nas paredes ganharam destaque pelo simples fato de que a pintura ao redor, agora totalmente branca, ressalta o seu colorido. A autoria é desconhecida.

O jardim interno permite uma ventilação natural, com acesso às suítes do piso térreo, e serve como lugar para um descanso pós-praia ou estar simplesmente à conversa. Sofá executado pela Abraão Marcenaria, tapete Dai Artesanato e pendente da Divino’s Trancoso.