Fotógrafo: Ezio Manciucca / Segundo a memória descritiva

Rodeado por um olival, o HV Pavillon é o projeto de uma residência no sopé do Monte Amiata, na Toscânia, em Maremma. Elevado do solo, o edifício apresenta-se como um pavilhão lançado à paisagem de forma teatral. É um mecanismo espacial para admirar a natureza circundante reivindicando a sua pertença ao lugar e à sua história secular.

A casa revela uma arquitetura típica do Mediterrâneo voltada para a questão de uma residência na sua tipologia mais arcaica e princípios de construção.

Oito caixas estruturais assentes sobre uma plataforma de betão armado sustentam o revestimento de pedra maciça.

Os espaços da casa são geometricamente configurados em torno de um pátio central de reminiscência romano-itálica: “Atrium Tusculanum”.

O interior é apenas estrutura e matéria-prima que visa celebrar a abordagem contemporânea para soluções de detalhes.

O piso é feito de resina cimentícia e tem a cor queimada pelo sol, como a relva, nos meses mais quentes, e como as folhas de castanheiro, no outono.

A madeira natural completa os volumes e todos os móveis são personalizados. Uma ilha de aço na cozinha e uma mesa monumental de cimento fundido celebram o ritual da boa gastronomia italiana enfatizando o caráter alegre da casa.

A mesa é o altar secular no centro da cena visível de todos os espaços da casa. A instalação é um continuum espacial entre a lareira íntima e o olival sem blackout, ou outros elementos filtrantes, exceto as cortinas de linho claro.

O rigor da geometria é compacto e coeso em proporções e homenageia a construção local do país, a tradição das paredes de “pedra seca” em solo antropizado; os detalhes de madeira lembram os elementos tradicionais vistos nos edifícios rurais chamados “seccatoi” – secadores de castanhas -.

Desta forma, o edifício funde-se com a paisagem e liga-a profundamente à sua própria história.

FICHA TÉCNICA

Projeto de arquitetura, interior e de iluminação: GGA Gardini Gibertini Architetti – Alice Gardini e Nicola Gibertini
Colaboradores: Luigi Lupini e Giada Spano
Projeto estrutural: Estúdio Silvagni – Savignano sul Rubicone (Fc)
Projeto paisagístico: Kristof Huysecom