Por Paulo Merlini Architects / Fotografias de Ivo Tavares via Archdaily Brasil

Segundo a memória descritiva. O projeto resulta da remodelação de uma antiga casa agrícola situada numa cidade ainda com um caráter bastante rural. Após desmontar os materiais pobres da antiga fachada descobrimos que a casa era, na realidade, composta por três pequenas casas construídas de acordo com as necessidades do antigo proprietário.

Esta foi a premissa chave para a criação do nosso projeto, mantendo a estrutura dos volumes originais e assumindo a sua zona descoberta original, unificando-os através de uma laje perfurada por um pátio central que enche de luz toda a área social, localizada no rés- do-chão. A cobertura ajardinada desta laje central oferece um novo jardim íntimo a todas as divisões e áreas privadas da casa.

Em termos de materialidade, a nossa intenção era criar um forte contraste entre os dois pisos. No rés-do-chão uma maior materialidade, denunciando a tectónica da construção, transmitindo a sensação de viver dentro de uma massa de granito escavado, mantendo ainda assim uma relação muito forte com o espaço exterior.

No piso superior, a geometria das três casas originais é denunciada atirando a sua materialização como volumes brancos puros, inundados de luz. Neste piso, os pés direitos altos, as persianas de madeira, o branco e os pisos de madeira recriam a sensação de uma típica casa de campo portuguesa.