Fez parte da shortlist dos ‘2018 Victoria Architecture Awards’, na categoria ‘Arquitetura de Interiores’, e distingue-se pela forma como interpreta a luz que entra chegada de várias direções e ilumina os interiores de forma cálida e inteligente.

Projeto: Honeyman and Smith Architects / memória descritiva e fotografia: cortesia dos arquitetos

As condições preexistentes da casa vitoriana com terraço, no subúrbio de Princes Hill, em Melbourne (Austrália), exibiam-se confusas, entre a combinação da grandeza vitoriana, em escala e materialidade, a adição nas traseiras, feita nos anos 1980, bem como outras, graduais, e mais recentes, consistindo em várias escadas entre os espaços, falta de luz natural (sinónimo de casas com terraço), espaços amplos e subutilizados e uma cozinha estranhamente elevada, escura e hostil.

Hoje, o piso de cortiça é acariciado pela luz indireta, os balaústres de vidro captam e retêm a luz como uma vela, a tinta à base de cal retém a luz nas camadas existentes.

A resposta bem resolvida procurou promover e celebrar as principais características da casa vitoriana com terraço; escada original, tetos altos, detalhes ornamentais e ligação ao jardim traseiro e à luz natural, bem como uma tentativa de restabelecer a ordem, eliminar mudanças desnecessárias de nível e resolver o mal aplicado programa dominante de cozinha, lavandaria e WC (todos localizados centralmente, em torno da escadaria).

A mudança de estado, de fora para dentro, é agora visualmente ligada da frente para trás. Corredores, escadas, patamares, entradas já não são experiências isoladas, mas antes vestíbulos ligados através do sensato planeamento e das adições, unindo psicologicamente o ocupante com o lugar que ele escolheu como a sua casa.

O acesso da porta da frente ao jardim traseiro é agora possível num só nível, sem interromper portas ou o programa, o conceito de “passagem” foi alcançado com uma nova laje de cimento que liga o corredor do terraço original ao volume da adição da década de 1980.

Os elementos-chave do programa foram realocados numa extensão bem iluminada, no poço de luz a sul, abrigando uma lavandaria, WC e chuveiro separado, que pode abrir e fechar dependendo do uso, a fim de fornecer luz à parede escura correspondente.

A circulação do novo esquema promove e celebra a escada histórica, após a remoção dos armários e acréscimos da escada; a remodelação cuidadosa desta última criou espaço suficiente para fazer a transição por baixo e experimentar a estrutura e os materiais originais, combinados com uma nova adição não concorrente de balaústres de madeira, aço e vidro.