Depois de reflexão sobre a arquitetura, os interiores e a casa inteligente pós-covid, é tempo agora de refletir sobre um tema igualmente importante e atual: a sustentabilidade.

Vamos ter uma casa mais sustentável, não só com a utilização de novos materiais, mas também com uma vivência da casa, que definitivamente vai ser diferente, mais sustentável. Os intervenientes na construção de edifícios vão estar mais sensibilizados para o tema, por isso vão procurar materiais não só para a construção, mas também para a decoração, onde a sustentabilidade e o respeito pelo meio ambiente estejam presentes.

Por exemplo, o bambu é uma matéria prima já utilizada nos mais variados produtos, nomeadamente portas, janelas, pavimentos ou mobiliário. Agora, também está a ser utilizado como material substituto do aço quando se produz o cimento armado.

Este é um material extremamente resistente, sustentável e disponível em grandes quantidades. Também a argamassa feita com argila, que substitui o cimento, pode ser usada em paredes internas para assentar os acabamentos. É totalmente sustentável, tem um melhor desempenho termo-acústico e ainda impede o aumento excessivo de humidade nos ambientes mais húmidos, por isso também pode ser usada como material isolante.

Quanto aos interiores, vai haver uma maior preocupação com a escolha de materiais. Cada vez mais vão utilizar-se materiais provenientes da natureza, que facilmente se reproduzam e que tenham uma longa durabilidade, como, por exemplo, a cortiça ou a fibra de coco. Aquando da escolha de materiais, deve procurar materiais que existam na zona da obra para evitar transportes de longa distância dos materiais, evitando o aumento da emissão de CO2.

As tintas convencionais, que são altamente tóxicas e poluidoras, vão ser substituídas por tintas amigas do ambiente. São tintas ecológicas produzidas a partir de corantes e óleos totalmente naturais que respeitam a respetiva certificação.

As torneiras e autoclismos também vão fazer parte das preocupações dos construtores ou dos utilizadores. Devem ser colocadas torneiras com redutor de caudal e autoclismos com duas descargas, para evitar o desperdício de água.

Não vão faltar os vários contentores para fazer a separação de lixo e para quem vive numa moradia, o carregador para o carro elétrico vai ser um bem essencial.

A casa deve estar em perfeita simbiose com a natureza. O Homem tem de parar de controlar a natureza e aliar-se a esta para coexistirem tranquilamente.

A casa pós-covid não vai ser a mesma, esta é uma certeza. A casa é um “organismo vivo”, em constante mutação, sujeita a várias influências, nomeadamente grandes acontecimentos, como uma pandemia, que podem alterar o seu percurso.

Vamos assistir a uma mudança contínua para que algumas ideias ou funcionalidades inovadoras passem do papel para a realidade a curto, médio prazo e com a ajuda do 5G ainda vai ser mais célere. Novidades para a casa, em especial quando falamos de tecnologia, não vão faltar, afinal o futuro é hoje.

O atelier Nuno Matos Cabral Design Studio tem uma nova área de trabalho, a Consultoria para um Design Sustentável. O atelier está a apoiar as empresas na sua transformação sustentável, na área do design de interiores, mas também de produto. Através de um estudo aprofundado do que é necessário alterar para que seja uma empresa mais amiga do ambiente, o atelier de NMC ajuda a obter uma racionalização e gestão mais sustentável das suas infraestruturas. A conseguir uma maior eficácia na gestão do orçamento e redução nos custos de manutenção.