Fotografia: João Bessone Produção: Amparo Santa-Clara

Nesta casa do séc. XVIII, com azulejos e pintura decorativa de teto sobre tela originais, e soalho de tábua corrida larga, a família tem uma importância enorme, e uma grande influência na estética geral.

O projeto, do Atelier Francisca Lima Mayer, com o design pelas mãos do arquiteto Bernardo Bugalho e a designer de Interiores Francisca Lima Mayer, foi concebido através de uma intervenção recente do atelier, em que a principal preocupação foi tirar partido da coleção particular do proprietário, evidenciando as peças, enquadrando-as de forma cénica e esteticamente equilibrada, num contexto eclético e contemporâneo.

Sempre com a preocupação da personalização do espaço do proprietário, foram trabalhados enquadramentos, perspectivas, pormenores, efeitos estratégicos de espelhos, contrastes de materiais, de cores e de texturas.

Os principais materiais presentes nesta proposta de interiores são as madeiras, os lacados, os espelhos, inox, vidro, acrílico, tapetes de texturas naturais de lã, algodão e cairo.

Os pormenores passam por azulejos, pratas, vidros, cerâmicas, porcelanas, objetos de design e muitos outros bastante curiosos, iluminados de forma pontual. E que coabitam numa sintonia perfeita.

“A composição eclética de arte contemporânea, peças de design e móveis antigos, na sua maioria de família, tem um resultado, no mínimo, ‘sui generis’, diferenciado, e, acima de tudo, sempre confortável e acolhedor. 

É uma casa onde apetece estar em cada recanto sozinho a relaxar, ou em família no quotidiano, ou a conviver com os amigos, que aqui se sentem bem e em casa, e por isso vão ficando…”, garante a dupla de profissionais.

Aqui a noção de harmonia estética foi uma premissa, pois cada objeto tem uma história, de família, ou comprado numa viagem ou feira.

Acima de tudo é um espaço com alma e carácter próprio, uma casa funcional e vivida, onde habita uma família real com as suas memórias e uma forma de estar descontraída. 

É uma casa de quem gosta de curiosidades, peças ligadas à natureza, ao mar, aos barcos, aos animais, à pintura, escultura, arte antiga e contemporânea e peças de design.

Houve uma preocupação de dar vida e frescura ao interior, através das plantas verdes que pontuam a intervenção.