Um TI com vista para as copas das árvores de uma das ruas mais bonitas de Milão. Aqui, o sol inunda de luz o interior do apartamento, onde funcionalidade e estética competem pelo pódio. O projeto de reabilitação coube ao jovem coletivo Atomaa, fundado em 2018.

Segundo a memória descritiva do coletivo Atomaa / Fotografia: Alberto Strada

Projetado e redesenhado no outono de 2019, o apartamento narra a história de quem ali habita: um jovem casal apaixonado por leitura, cinema, design e música. O projeto arquitetónico foi feito à medida dos desejos dos clientes com o máximo de precisão e dedicação: os ambientes mantêm a sua natureza original, mas são reinterpretados na estética e nas cores.

Uma divisória separa o compartimento original utilizado para albergar a cozinha, dando origem, por um lado, a uma sala de jantar compacta destacada pelo papel de parede decorativo, herança dos espaços domésticos ingleses, e, por outro, a uma nova cozinha minimalista, elegante e funcional.

A sala existente, bem definida pelas paredes, corredores e casa de banho, muda de rosto e transforma-se num amplo open space, caracterizado por um pavimento em grés de cimento colorido, que se insinua em todas as divisões.

O espaço abre-se através de uma sequência de grandes portais para a cozinha e a sala de jantar, de um lado, e para um recanto de leitura e janela em arco, do outro.

O ato de abertura prolonga-se até ao escritório / quarto de hóspedes através de uma série de portas. Este último, no entanto, totalmente integrado numa longa estante, esconde painéis pintados num amarelo intenso que ajudam a demarcar o espaço de lazer e o espaço privado.

O quarto e o escritório, por outro lado, mantêm o seu estilo antigo, com os soalhos originais recuperados. Estes dois espaços estão ligados ao resto da casa através de uma série de portais em arco que permitem expandir o campo de visão e preencher a casa com luz natural.

O arco e a curva são dois elementos-chave do projeto: podem ser encontrados na casa de banho, nos móveis e nas portas internas, numa interpretação lúdica dos sonhos dos clientes.

A casa de banho não é um ambiente secundário: uma verdadeira salle de bains pensada para refletir um ambiente requintado. É dividida em zonas suaves e fluidas que acolhem uma série de objetos de design cuidadosamente selecionados em parceria com os clientes.

A zona de duche atua como um elemento de “passagem” que une a casa de banho principal, acessível a partir do quarto, à casa de banho de hóspedes, secundária. Esta transição funcional elimina os espaços de distribuição adicionais destinados às áreas de serviço e filtra a luz que vem da casa de banho principal para a secundária, através da grande janela.

A busca pela cor foi fundamental no processo de design: neste ambiente, o rosa pastel e o verde escuro alternam-se com elegância, dando origem a um contraste claro com os acabamentos em preto fosco escolhidos para as torneiras, os perfis da box, espelho e lavatório. Cada detalhe foi avaliado e considerado através de uma feliz colaboração com os clientes, outra característica fundamental dos projetos assinados pelo ateliê Atomaa.

O projeto, embora não prejudique em nada o traçado original da casa, permite hoje aos novos proprietários terem acesso a espaços flexíveis, luminosidade, amplos campos de visão e uma sucessão de ambientes variados em constante comunicação entre si.

FICA TÉCNICA:

Cliente: Privado
Tipologia: Apartamento
Local: Milão, Itália
Ano: 2020.01
Projeto de arquitetura: ATOMAA
Equipa de Design: Samantha Furlotti, Francesca Luci e Viviana Ramires