Numa casa pequena, cabe tudo. Tudo o que é essencial.

Fotografia: João Bessone Produção: Amparo Santa-Clara

Com áreas pequenas, mas bem divididas, este apartamento no Estoril podia ser um desafio para várias pessoas! Mas esta proprietária, com uma estética implacável, arregaçou as mangas e abordou a decoração da casa, não como um desafio mas como um projeto especial.

Utilizando muitas peças que tinham vindo de outras casas anteriores, o primeiro passo foi escolher as mais importantes, e distribuí-las pelas divisões. Depois, o importante era integrar as peças no espaço, de modo a que elas funcionassem e não perdessem a força estética. E, claro, o ponto mais importante para espaços pequenos – criar arrumação!

Usando de forma eficaz cada recanto, a proprietária criou zonas-chave com propósitos específicos. A zona de estar, uma pequena área de escritório, que está discretamente integrada na sala. Uma zona de refeições que serve de apoio à cozinha, mas está decorada para ser igualmente zona de “sala de jantar”.

Numa casa com 90 m2, a organização do espaço passa também por escolher móveis com bastante arrumação, e que encaixem esteticamente na restante casa. Aqui as peças de família combinam na perfeição com as outras peças mais utilitárias da casa. A paleta de cores escolhida também influencia a leveza do espaço. Com tons muito neutros, e apenas com apontamentos de cor, que surgem aqui e ali, atraindo o olhar para pontos específicos. 

A luz que vem da rua, e que ilumina a sala, é outro ponto essencial, já que esta luz que entra dá uma sensação de áreas mais abertas, mais arejadas e com mais espaço visual.

Por outro lado, o facto de não haver portas, nem a dividir o corredor da sala, nem a sala da cozinha, amplia visualmente os espaços.

Todos estes pequenos truques, utilizados na decoração desta casa, iludem o olhar e fazem-nos crer que estes 90 m2são usados da melhor forma possível.

Numa casa onde o espaço é utilizado de forma equilibrada e muito bem pensada, a estética, a decoração, o ambiente, são também uma ferramenta útil para iludir o olho, para “enganar” a mente.

A verdade é que a cor, as texturas, os materiais e a arrumação são importantes em qualquer habitação, mas, numa casa pequena, podem ser a diferença entre o sucesso e a desgraça!