O coletivo MNMA Studio gizou esta casa na praia, que contou na sua totalidade com o recurso aos materiais, processos e mão de obra local, nomeadamente filhos de pescadores.

Projeto: MNMA Studio / Fotografia: André Klotz / segundo a memória descritiva via Archdaily

A grande laje em amarelo circundada por uma varanda norteou o projeto intimista da Casa Cupe, situada numa antiga fazenda de coqueiros na região do Pontal do Cupe, Pernambuco, nordeste do Brasil.

Um projeto que materializa sensações e procura formas mais harmoniosas de construção com a natureza. As casas de veraneio foram concebidas numa região de acesso limitado a materiais e tecnologias, contando com o total recurso aos processos e materiais locais.

A casa apoia-se na equipa formada na grande maioria por trabalhadores de comunidades próximas, na grande maioria filhos de pescadores. Alguns experimentaram pela primeira vez trabalhar com materiais como betão e cimento, comprovando que projetos inovadores, sustentáveis e com rigor técnico e construtivos, podem ser, acima de tudo, simples. Processos que no decorrer da realização tomaram o lugar de uma obra “convencional” para um verdadeiro trabalho artesanal.

A parte dos equipamentos de infraestrutura ficou oculta de praticamente qualquer ponto de vista, devido ao rigoroso e cuidados posicionamento de um terraço e da natural angulação do telhado, criando ainda um miradouro com vista frontal para o oceano.

Manter a escolha de materiais que geram menos impacto ambiental foi premissa do projeto: parte da estrutura da casa projetada em eucalipto e madeira certificada, diminui o impacto de emissão de gás carbónico e gasto de energia no processo.