A prática de arquitetura Zaha Hadid Architects foi selecionada para construir a nova sede, em Xangai, do China Energy Conservation and Environmental Protection Group (CECEP).


A CECEP é a empresa líder naquele país responsável por dar corpo e financiar projetos com o foco em tecnologias de energia renovável que incluem: energia solar, hidoelétrica e eólica; iniciativas de preservação ambiental, como recolha, tratamento e reciclagem de água; além de desenvolver inovações para reduzir o consumo de energia e as emissões em toda a indústria da construção.
 
Cumprindo o seu compromisso em matéria de energia renovável e da proteção ambiental, a nova sede da CECEP, em Xangai, foi projetada por Zaha Hadd Architects para ser o edifício mais “verde” da cidade, com sustentabilidade incorporada em todos os aspetos de seu design e construção, de modo a obter mais de 90 créditos nos sistema ‘Star Green Building Rating’ – a pontuação mais alta de qualquer prédio em Xangai.


A sede, de 218.000 m², define novos padrões na cidade em matéria de consumos, eficiência e sustentabilidade. Com vista para a ponte Yangpu, no rio Huangpu, o design de ZHA está em linha com o local e é definido pela história e dinamismo da cidade.
 
O campus urbano de uso misto com três torres de escritórios, lojas, restaurantes e espaços de lazer ligados por um parque, de acesso direto à cidade, ecoa o compromisso do CECEP com a educação ambiental, criando novos espaços públicos vitais para os seus funcionários e comunidades vizinhas apreciarem o mundo natural.
 
Soluções como a recolha da água da chuva para irrigar os amplos espaços verdes e o design biofílico, que estreita a relação entre interior e exterior, fazem parte do projeto, que ainda contempla soluções de arrefecimento dos espaços com sombras externas otimizadas.
 
Além de aquecimento e da ventilação de alta eficiência com recuperação de calor residual, juntamente com os sistemas de arrefecimento que usam água não potável, a nova sede também utilizará um sistema de armazenamento térmico de gelo. Este é gerado pelos refrigeradores, à noite, com o recursos a eletricidade fora do pico de consumo, é armazenado em tanques térmicos e depois usado para arrefecer o edifício durante o dia reduzindo significativamente o consumo elétrico durante o dia.
 
O sistema inteligente de gestão de edifícios monitorizará continuamente o ambiente interior e reagirá automaticamente a mudanças nas condições internas, como variações de temperatura, qualidade do ar, luz natural ou número de ocupantes. Para reduzir o consumo de energia e prolongar a sua vida útil, esses sistemas inteligentes também armazenam dados para prever e otimizar o uso de energia.
 
A nova sede usará a capacidade da rede 5G para operar sistemas inteligentes de gestão e segurança biométrica, que eliminarão o contacto com superfícies de uso comum, funcionários e visitantes.