Em Saint-Clément-de-Rivière, França, pelo coletivo de arquitetura (ma! ca).

Fotografia: Aurélien Aumond

A grande casa de quinta fica numa vasta propriedade nos arredores de uma vila. Recentemente alvo de uma reforma, mal feita, o que deformava o arquétipo clássico da casa de quinta, havia que repensar o programa, até porque os seus proprietários não se sentiam ‘em casa’. O gabinete de arquitetura (ma! ca) deparou-se ainda com o desafio dos espaços sociais, que eram mal proporcionados, e nas muitas janelas, pequenas, que infelizmente não permitiam o acesso visual aos amplos planos relvados.

A relativa falta de transparência causava falta de ar. O volume era longo e estreito, típico do layout de uma casa de quinta, com tetos significativamente baixos. A escala e as proporções do edifício exigiram um reajuste.

A adição necessária de duas extensões ofereceu uma nova função utilitária ao preexistente e justificou a criação de um pátio central. As duas extensões – a sala de estar e a cozinha – destacam os espaços e melhoram a finalidade de cada área.

Agora, as grandes janelas envidraçadas ajudam a casa a diluir-se com o jardim, em redor, revelando mais vegetação. O pátio central está de frente para a entrada da casa. Definido intencionalmente “no meio” – entre a cozinha e a sala, entre o interior e o exterior – este pátio une os dois e maximiza a luz e a escala.

Os novos espaços adicionados reinterpretam o volume interior na criação de altura e captam melhores vistas da vasta paisagem circundante ou do pátio interno.

Quanto à materialidade, a arte de parede de pedra seca foi usada para as duas extensões, de acordo com a técnica tradicional do sul de França, de modo a preservar a arquitetura local, evitando materiais padrão muito utilizados. Este trabalho de construção único é uma visão elegante de uma forma vernacular clássica, totalmente reinventada com sofisticação e alvenaria finamente trabalhada. Foram ainda abertas janelas nas fachadas, mas como o lado sul requer dispositivos de sombreamento, as persianas e pérgulas revestidas de metal e o seu design gráfico são a solução, e uma parte essencial da identidade do projeto.

Os móveis, feitos sob medida, exibem-se no espaço minimalista. Apenas se revela o que precisa de ser visto. A escada original adorna uma superfície de madeira clara que engloba o uso inteligente do espaço sob as escadas, com arrumação sabiamente escondida na área de entrada.
 O espaço como um todo foi imaginado e projetado para encontrar homogeneidade onde estética e utilidade coexistem harmoniosamente.


FICHA TÉCNICA

Localização: Saint-Clément-de-Rivière, Sul da França
Data de conclusão: agosto de 2018
Fotografia: Aurélien Aumond