Nesta série especial #covid-19 falámos com Manuel Arez, co-fundador do atelier Conceitos de Arte que tem no seu portefólio projetos desenvolvidos para o Hotel Pestana Palace, Tivoli Lisboa, Pousada do Castelo em Óbidos ou Museu do Arroz, na Comporta, para citar apenas alguns exemplos. Em conversa, o arquiteto relembra que “o verdadeiro luxo é a forma como as coisas nos servem”.

No atelier fundado por João Urbano, Manuel Arez e Pedro Espírito Santo, assumem-se como prioritárias as necessidades específicas de cada cliente, o seu modo de vida e personalidade. Não será por isso, de estranhar, que aquilo que os define seja a personalização de cada projeto.

Procurámos saber de que forma o arquiteto Manuel Arez tem vivido esta fase de isolamento social, quais as adaptações às suas rotinas e o que sugere para que cada um tire maior partido das suas casas, neste momento, certamente inesquecível.

De que forma a pandemia de covid-19 afetou a sua vida profissional?

No início a vida fica virada ao contrário, uma sensação de caos e impotência, mais pela situação em si do que pela mudança necessária. Novas rotinas surgem e assim um novo equilíbrio.

 Os seus hábitos e tarefas foram agora substituídos por que rotina?

Tento sair durante a semana para caminhar ou correr antes de iniciar a minha actividade profissional. É importante manter rotinas e objectivos bem definidos. Estruturo o dia como se estivesse no atelier, mantenho agenda e reuniões distribuídas entre os clientes e a minha equipa.

Como é desenvolver projetos de arquitetura e interiores à distância, e com tantas restrições?

É fácil. Por trabalhar muito com clientes não residentes em Portugal, a dinâmica de comunicar pela web e a forma de apresentação dos projetos estava já muito presente no nosso trabalho.

O trabalho com a minha equipa da Conceitos de arte mantém-se, porque com toda a tecnologia de partilha de ecrã e vídeo chamada disponíveis podemos estar a trabalhar em conjunto em tempo real.

Que medidas tomaram para se reinventarem nesta fase?

Mais do que difícil esta fase é diferente para todos. Durante este período os nossos clientes desenvolveram um foco especial pelas suas casas e novos desafios de adaptar os seus espaços às novas rotinas.

Também é uma fase que aproveitam para desenvolver aqueles projectos que tinham ficado adiados por falta de tempo.

Não fomos nós que nos reinventámos, foram as necessidades nas vidas dos nossos clientes.

Que sugestões deixaria aos leitores da URBANA para tirarem maior partido das suas casas nesta fase?

Se for necessário reorganizem o espaço da vossa casa, é fundamental sentirem-se bem e confortáveis durante este período. De forma a manter a harmonia, se possível reinventem espaços de trabalho e estudo se necessários. É importante manter tudo organizado!

Não se esqueçam que o verdadeiro luxo é a forma como as coisas nos servem.

SOBRE CONCEITOS DE ARTE

Em 2004 os arquitetos João Urbano, Manuel Arez e Pedro Espírito Santo decidem unir-se e utilizar a experiência e as complementaridades profissionais de cada um com o objetivo de criar projetos unicos e de qualidade.

Nasce o atelier Conceitos de Arte que é, hoje, uma referência nas áreas de arquitetura e design de interiores, desenvolvendo projectos emblemáticos para hotéis, restaurantes, escritórios e habitações.

O atelier oferece um serviço global onde a arquitetura e o design de interiores são concebidos e integrados desde o início, gerindo o equilíbrio entre a funcionalidade e a imagem de cada espaço. Na área de design de interiores, a Conceitos de Arte oferece um serviço personalizado desde os planos de layout, à escolha de mobiliário, tecidos e materiais. Bem como, um serviço de design de mobiliário com peças exclusivas e orientadas para as necessidades de cada um dos seus clientes.