#7 Southlands é um projeto integrador, com várias valências, e tem por base a riqueza e característica Art-Deco, numa casa dos anos 1930 em Mumbai, agora rejuvenescida.

Fotógrafo: Fabien Charuau

O projeto, levado a cabo pelo ateliê SquareWorks, celebra a quintessência inerente a um edifício descaradamente “bombaim-ish” com a realização de várias alterações, projetadas conscientemente. O sistema espacial foi revitalizado atendendo à funcionalidade, que se estende além da domesticidade de uma casa antiga, assimilando-se ainda mais para refletir um espaço dinâmico atípico que atua de várias maneiras.

À semelhança da maioria dos apartamentos antigos, o nº 7 Southlands exibia uma atmosfera tipicamente Art Déco, com vários quartos estruturados de modo a facilitar a vida doméstica convencional de uma família indiana.

Do briefing constava a necessidade de gerar espaços multifuncionais, dinâmicos, que servissem vários e diferentes propósitos e que respeitassem, ainda, a preservação dos seus atributos icónicos.

Esta abordagem pedia uma proposta de restauro consciente, que não se cingisse apenas à renovação do encanto perdido de um apartamento colonial de 300 metros quadrados, mas que também abordasse as especificidades dos vários utilizadores: as de um espaço de trabalho residencial neotérico.

Para tal:
. O sala funciona como um local de trabalho multidisciplinar com vários usuários
. A zona de refeições converte-se nma galeria ou espaço de exibição.
. Ênfase nos elementos estáticos versus dinâmicos contrastantes – alcançados via o espaço do estúdio, que é reorganizável e divertido, ao invés de camas e armários, que retratam permanência e quietude.
. Separação clara do núcleo de serviço dos espaços principais.

Apesar da divisão pronunciada do preexistente, o apartamento evidenciava uma experiência ambígua em termos de navegação e funcionalidade internas. Os princípios de design foram derivados com base em cinco conceitos espaciais:

. Transparência – através da acentuação da geometria axial; salvaguardando alguns orifícios em planos sólidos
. Luz natural e ventilação – ligação visual entre os planos, permitindo a ideia de um ‘todo a separar’ por parte dos utilizadores.
. Organização centrípeta – uma organização voltada para o interior, como máximo respeito pelas superfícies existentes; dissuadir conscientemente qualquer intervenção de projeto no envelope existente.
. Materialidade inerente – austeridade dos materiais para mostrar a clara distinção entre ‘existente’ e ‘inserção’.
. Simplicidade – uso ideal dos elementos espaciais existentes para criar um jogo entre os ‘vivendo’ e ‘o demais’.

No total, a abordagem metodológica deu origem um espaço homogéneo, que permitiu a funcionalidade dinâmica alinhada com a variável domesticidade do (s) utilizadores (s) envolvido (s). Para restaurar o nº 7 Southlands, pretendia-se identificar e enunciar algumas das suas características espaciais características.


Com um estilo arquitetónico icónico como o é a Art Déco, articulado através de um apartamento em Bombaim, a preocupação não se limitou apenas ao que residia dentro dos limites desse espaço habitável, mas também serviu para refletir a essência de uma entidade maior – a cidade, neste caso, Bombaim.

FICA TÉCNICA
Nome oficial do projeto: # 7, Southlands
Localização: Mumbai, Maharashtra, Índia
Período de construção: 2017 março – 2018 março
Arquitetos / Designers: SquareWorks LLP
Equipa de Design: Katsushi Goto, Khushboo Vyas
Colaboradores: Apartamento
Área Bruta do Projeto: 300 m²
Fotógrafo: Fabien Charuau