A missão é converter o edifício do Teatro num Laboratório Internacional de Criação Artística, concebido como um espaço público aberto e inclusivo.

Os arquitetos Flores & Prats (Ricardo Flores e Eva Prats) + Ouest Architecture ganharam o primeiro prémio no concurso pela recuperação de uma parte significativa da história da arquitetura e da cultura em Bruxelas, Bélgica.

Para o projeto, Flores & Prats colabora com Ouest Architecture, que aqui convergem na experiência singular de uma profunda relação com as memórias dos lugares e com o manuseio cuidadoso dos artefactos encontrados, uma experiência que culminou no projeto para a Sala Beckett em Barcelona, ​​Espanha, concluída em 2016, com projeção mundial.

O Ancien Théâtre des Variétés, que remonta à década de 1930, já foi um dos locais mais modernos de Bruxelas durante a era de ouro da cultura de espetáculos e entretenimento da cidade. Originalmente um teatro e sala de música, do arquiteto modernista local Victor Bourgeois, foi mais tarde convertido num grande Cinerama na década de 1960, antes de, finalmente, ficar vago na década de 1980.

Agora, o novo proprietário do edifício, Bruxelles Laïque, prevê uma nova vida para o teatro que se encaixa na agenda social inovadora e ambiciosa da instituição. O programa incluirá dois teatros, escritórios, vestiários, um café / bar e um espaço aberto no fórum.

“Juntamente com Bruxelles Laïque e a nossa equipa de especialistas, trabalharemos para adicionar um novo capítulo a este edifício histórico, convertendo-o num novo Laboratório Internacional de Criação Artística”, anunciou Flores & Prats.

O projeto abre um novo capítulo na história deste local, com atenção especial para os seus futuros utilizadores. É um projeto que se adapta e compreende o bairro e o prédio específico, com todas as suas qualidades históricas e o seu futuro caráter social.
Como o júri apontou, “os espaços, volumes e materiais do projeto são de grande qualidade e beneficiam, entre outras coisas, de grande luminosidade interior. O projeto é fortemente determinado pela instalação de uma clarabóia muito alta que fornece luz zenital no coração do edifício até o nível Forum”.

O ponto de partida para o novo edifício é encontrado no teatro existente: nas suas dimensões únicas, na sua elevada altura e no espaço aberto, com a escala de uma praça urbana interior. Tais características combinam com as necessárias para a nova ocupação: um espaço público aberto e inclusivo para acolher debates, apresentações de arte e música e celebrar encontros sociais.

O projeto do Ancien Théâtre des Variétés propõe uma reativação do local para o seu novo uso, mantendo as qualidades espaciais e materiais únicas.

A SABER:
Teatro Ancien Variétés
Rue de Malines 25, 1000, Bruxelas, Bélgica
Cliente: Bruxelles Laïque
Data do consurso: 2020
Área: 5.000 m2
Equipa
Arquitetura: Flores & Prats + Ouest
Estrutura: JZH & Partners
Acústica: Daidalos Peutz
Cenografia: Kanju
Técnicos: Boydens
Orçamento e pesquisa: Bureau Bouwtechniek
Sinalética: Ekta
Fotografias: Adrià Goula
Renderização de imagem: Play-Time