Com área útil de 207m2, e interiores de Viviane Gobato, esta casa pedia cor, vida, luz natural a entrar a jorros e uma boa dose de juventude. Algumas ideias para quem precisa de uma lufada de ar fresco na sua casa.

Fotografia: Mariana Orsi

“Os apartamentos das grandes metrópoles do mundo foram a maior inspiração para este projeto”, diz a arquiteta brasileira Viviane Gobato. Viviane quis trazer para esta casa a essência destes lugares e o skyline da cidade, com um impacto imediato assim que ali se entra.
O conceito deste projeto é, em primeiro lugar, ser jovem e urbano.

“Os moradores queriam um apartamento bem diferente do comum, alegre, iluminado e com bastante cor”.

As grandes janelas envidraçadas importam o clima de metrópole para dentro do apartamento, onde se pode ver a vista de diversos ângulos.

Foram escolhidas peças de impacto de diferentes designers, cada uma com sua característica, mas que conversam entre si.

A casa passou por uma obra significativa: quando os moradores chegaram ao apartamento, metade da área era um terraço coberto. Foi então que surgiu a ideia de ampliar o espaço, deitando abaixo paredes, descascando as colunas e vigas estruturais para que ficassem no cimento.

Também estendemos o piso da sala de taco Cumaru para o terraço, criando ambientes completamente integrados. Os planos de vidro permitiram que o apartamento estivesse mais próximo da cidade, aumentando a vista e a iluminação natural”, característica fundamental em todos os seus projetos.

A ideia foi manter as paredes apenas nas áreas íntimas (quartos e casas de banho). Na salas e cozinha, a divisão dos ambientes foi feita através da diferença de alturas entre os forros de gesso e das diferentes iluminações. Os moradores queriam ainda um espaço para leitura bem aconchegante, por isso surgiu a ideia de criar uma minibiblioteca, onde todos os livros foram reunidos.

A cozinha aberta para a sala foi uma solução pensada nos jantares que os clientes costumam fazer, desta forma poderiam receber os amigos e cozinhar ao mesmo tempo.

“Optámos por fechar o terraço coberto, uma vez que já havia um espaço descoberto que poderia ser bem aproveitado. As plantas de diversos tipos preencheram o ambiente, algumas colocadas em vasos e outras formaram uma coluna verde, onde existem também ervas e outras especiarias. A mesa e as cadeiras ocuparam o espaço para um momento mais descontraído”.

Além disso, o grande charme deste projeto foi misturar objetos de design assinados com o acervo dos clientes, “isso fez com que o projeto ganhasse personalidade”.

O maior desafio foi conseguir integrar os espaços na totalidade e ainda posicionar de maneira ampla os quatro ambientes essenciais para os clientes – sala de estar, cozinha gourmet, home theater e sala de jantar.

Além disso, o desejo era que todos os ambientes tivessem visão para o exterior, daí Viviane ter alojado a sala de estar e jantar na lateral do terraço, “e ainda sobrou espaço para a biblioteca”. “Deixámos o maior espaço da sala para o ‘home’, que tem mais interação com a cozinha ‘gourmet’”.