Decoração peculiar num ambiente familiar.

Fotografias : Ana Paula Carvalho

DSC_7736

O projeto arquitectónico dos anos 50 pelas mãos arquitecto Cristino da Silva tornou-se uma casa de família com uma decoração única peculiar e muito original. Este conjunto urbano classificado foi adaptado aos dias de hoje sem por isso perder a distribuição interior dos espaços e respeitando assim a assinatura do projeto.

Para esta adaptação aos dias modernos, os donos da casa optaram por não recorrer a um arquitecto ou decorador, tomando assim, e muito bem as rédeas do projecto! A ideia era actualizar as zonas de serviços como por exemplo as casas de banho e a cozinha e nos outros espaços fazer apenas uma recuperação mas respeitando sempre as áreas da casa.

‘’O projeto final correspondeu inteiramente ao desejado’’ garantem os donos. A zona social acabou por ganhar um peso muito significativo neste projecto, talvez também porque os donos tem dois filhos adolescentes e a convivência e partilha de tempo é tão importante. Todos estes espaços comuns, casa de jantar sala, escritório ou a sala da TV estão ligados e a facilidade de circulação é a chave para ter várias espaços com funções diferentes conectados. Para além desta facilidade de circulação todos estes espaços temem comum a decoração despojada e muito clean, com uma base maioritariamente branca e com peças boas que se deixam destacar no meio deste ambiente ‘’puro’’ e por pormenores irreverentes.

DSC_7931

Nesta casa a combinação de peças e estilos dita a identidade dos moradores.

Na sala se jantar, por exemplo conseguimos ver duas peças, a fotografia de Daniel Blaufuks e o aparador anos 50 em diálogo com peças mais clássicas e integrado num ambiente ao mesmo tempo clássico e moderno.

Noutro exemplo no escritório a cadeira corbusier em pele de pónei e a assemblage de Claudio Moraes Sarmento.

‘’A grande maioria das peças de mobiliário acompanha-nos desde há anos , ou por herança familiar ou compras efectuadas ao longo do tempo. Apegamo-nos aos objetos que acompanham a nossa vida. Como tal, cada uma conta uma história e traz consigo um passado de recordações e memórias.’’

Para além das peças de família houve algumas peças compradas na Carpe Diem, Paris Sete, Antiquoeste, Casas com Design e Dimensão. No quarto do casal, o branco ‘’puro’’ é contrastado por dois grandes móveis de mercearia com verdes e com a colcha de cama branca trabalhada conseguimos sentir uma influencia muito portuguesa neste espaço da casa. No tecto um candeeiro antigo, reinventado. O espaço mais utilizado de toda a casa não e certo, pode variar muito com a altura do ano ‘’No Inverno é o escritório integrado na sala, com janelas a todo o redor da praça do Areeiro. Tem uma luz incrível e vista sobre o bulício da cidade.

No verão é mais a sala de estar.’’ Diz o dono da casa, que diz ainda que para ele ‘’A casa representa a nossa segurança e conforto. É o local de trocas de afetos com a família e amigos e como tal um espaço nuclear na nossa vida.

Tal como a vida é feita de mudanças também na casa os objetos e os moveis mudam frequentemente de lugar. ‘’

DSC_7965