O Contemporary Music Centre (SMAC) em Évreux, França, da autoria do atelier Hérault Arnod Architectes, é um complexo musical composto por dois auditórios de diferentes tipos e estúdios de gravação, ligados por um espaço público, o deck, que percorre de um lado ao outro do edifício. Foi projetado com base no princípio de que, em vez de serem meros consumidores de entretenimento, as pessoas podem construir a sua própria noite movendo-se de um lugar para outro.

Fotografia: André Morin

30661-preview_low_972-4_30661_sc_v2com
O local está numa das extremidades do recinto de exposições Bel Ebat, no limite do centro histórico da cidade de Evreux. A dificuldade está na relação de tamanho entre o novo prédio, pequeno e não central, e o recinto expositivo, uma enorme área vazia. Um dos desafios da arquitetura foi criar uma sinergia entre as atividades dos expositores – festas, mercados de rua, circos, etc.30662-preview_low_972-4_30662_sc_v2com
Para resistir, e existir, em relação à vasta extensão do recinto de exposições e atividades, a estrutura é densa, escultórica e autónoma. A sala de concertos principal fica no primeiro andar e sobressai, pendendo para a entrada do lado norte.41456-preview_low_972-4_41456_sc_v2comPor motivos acústicos, as salas de concertos e os estúdios de gravação são volumes de cimento separados.32971-preview_low_972-4_32971_sc_v2comToda a estrutura é envolvida por uma pele de metal leve, uma parede dupla ou um teto que atua como um recurso acústico adicional. Do lado de fora, o volume é opaco, composto de faces triangulares, algumas delas feitas de aço inoxidável polido que reflete as árvores ao redor.30665-preview_low_972-4_30665_sc_v2com 30666-preview_low_972-4_30666_sc_v2com 30667-preview_low_972-4_30667_sc_v2com Está imbuído de um movimento interno duplo, o movimento do convés que o atravessa e o movimento do telhado que sobe gradualmente para envolver o auditório principal.30668-preview_low_972-4_30668_sc_v2com 41454-preview_low_972-4_41454_sc_v2com O deck funciona como um imenso salão interior / exterior que se estende da rua até a esplanada. Este percurso distribui e mostra as diferentes valências: salão do auditório principal, estúdio de estação de rádio local, estúdios de gravação e o clube, café de música ao vivo em vidro duplo, por motivos acústicos. O deck abre a sul, transformando-se num amplo alpendre, um teatro urbano que funciona como um terraço para o clube e como palco de espetáculos ao ar livre.30664-preview_low_972-4_30664_sc_v2com

Sem mais artigos