Um terreno a perder de vista, um proprietário com um sonho de vida e um orçamento apertado. Resultado: um projeto alternativo, na Holanda, e já premiado!

FOTOGRAFIA: Filip Dujardin

Frode Bolhuis sonhava com um modo de vida e trabalho alternativos. Este holandês queria aproveitar o seu terreno agrícola, com cerca de 1000m2 de área, e pediu aos arquitetos Peter van Assche e Mathijs Cremers dos gabinetes SLA e ZakenMaker, respectivamente, que projetassem a sua casa de sonho. O orçamento muito limitado era uma questão importante.Os arquitetos criaram duas condições prévias para tornar o sonho possível: sugeriram encontrar pessoas com ideias parecidas para participar do projeto, já que é muito mais barato construir várias casas ao mesmo tempo. Felizmente, Frode conseguiu encontrar oito amigos que partilhavam o seu sonho.A segunda pré-condição era que somente o exterior seria desenhado, permitindo às famílias total liberdade para decidir sobre o interior.O resultado é uma peça convincente de arquitetura. O edifício de 100 metros de comprimento faz uma declaração na paisagem e, ao mesmo tempo, acomoda nove casas completamente diferentes.Todas as famílias foram alocadas em 160 metros quadrados para serem divididas em espaço vital. Isso permitiu que todas as necessidades fossem satisfeitas, incorporando um estúdio de artista, por exemplo, ou uma grande sala de estar.

Os arquitetos decidiram levantar o longo edifício do chão para que ele pareça flutuar acima da terra. Esta decisão de design também teve outra vantagem: permitiu que os moradores escolhessem onde alojar o sistema de esgotos e as canalizações.Para obter um isolamento de alto nível dentro do orçamento, os arquitetos optaram por aproveitar ao máximo os materiais de construção comuns.

A fachada foi projetada para oferecer a máxima liberdade de escolha dentro de um sistema eficiente de construção. Cada família recebeu um plano para sete janelas e portas, que podem ser colocadas na fachada. O espaço entre os quadros é vitrificado com partes sólidas de vidro sem moldura. Isto cria uma fachada organizada mas diversificada.O Oosterwold Co-living Complex (entretanto premiado) demonstra que é possível alcançar um design convincente dentro de um orçamento apertado e que, mais importante, consegue atender às expectativas de nove clientes diferentes.A posição do edifício deixa espaço ainda máximo para uma horta comunitária. E a longa varanda comunitária facilita o contacto com os vizinhos.No final, o orçamento apertado, que primeiro parecia ser um problema, tornou-se uma característica fundamental do projeto. Completar o interior das casas fortaleceu o vínculo dentro da comunidade. Depois de todo o trabalho árduo, no verão, após a conclusão, a sotavento da borda da floresta em redor, um metro acima do nível do solo, os moradores observam a paisagem e a horta compartilhadas.

O Oosterwold Co-living Complex é o vencedor do Frame Awards 2019, na categoria Co-Living Complex of the Year, e foi premiado com uma menção honrosa do Prémio de Arquitetura Almere. Este projeto habitacional foi publicado no Anuário de Arquitetura Holandês 2016/2017.

 

7
C3 House by Barclay and Crousse. Para começar a semana só com boas ideias (sonhar comanda a vida e no que nos diz respeito é uma boa ideia sonhar com momentos assim...) Via @meetmyproject | fotografia @estudiopalma

#barclayandcrousse #outdoordesign #outsoorfurniture #mobiliarioexterior #bythepool #landscape_hunter #architectures #archilovers #architektur #architecture #architect #dreamhouse #archproject
2
Linda, a cozinha que serviu de teaser à nossa mais recente edição da #revista_urbana, nas bancas, e que não conseguimos deixar de admirar... e sonhar com uma assim, com vista de mar - living by the sea é a sua assinatura. A N_Elle da Cesar Cucine só podia ser designed in #Italy

@cesarkitchens

#cesarcucine #kitchenswelove #kitchendesign #livingbythesea #kitchenwithaview #monolithic #freedom #espacocozinha #cozinhadesign #design #designlife #interiordesign #draw
Sem mais artigos